Arquivo da categoria: conexão áfrica

Dunga está fora da Seleção Brasileira

O treinador Dunga e toda a comissão técnica que integrou a Seleção Brasileira na Copa da África foram demitidos na tarde deste domingo pelo presidente da Confederação Brasileira de Futebol (CBF), Ricardo Teixeira. A demissão foi comunicada em Johannesburgo horas depois de o técnico, em seu desembarque em Porto Alegre (RS), afirmar que dentrou de duas semanas conversaria com Teixeira para saber sobre seu futuro, sinalizando, inclusive, que poderia permanecer no cargo.
Um informe publicado às 15h44 na página da CBF informa sobre a decisão. Diz a nota: “Encerrado o ciclo de trabalho que teve início em agosto de 2006, e que culminou com a eliminação do Brasil da Copa do Mundo da África do Sul, a CBF comunica que está dispensada a comissão técnica da Seleção Brasileira. A nova comissão técnica será anunciada até o final deste mês de julho.”
Fazem parte do grupo demitido o auxiliar técnico Jorginho, o supervisor Américo Faria – que seguiu para o Rio Grande do Sul com Dunga – e o médico da Seleção, José Luiz Runco, que chegou durante a madrugada ao Rio de Janeiro.
Apesar do tom amistoso e conciliador de sua declaração ao desembarcar em Porto Alegre, Dunga já havia afirmado, na entrevista após a derrota do Brasil para a Holanda, na sexta-feira, que “todos sabiam” que seu compromisso com a Seleção era de permanecer quatro anos – encerrados em 2010.
Antes da eliminação nas quartas de final da Copa, o técnico obteve êxitos. Comandou a conquista da Copa América, em 2007, e da Copa das Confederações, em 2009. O “estilo Dunga”, no entanto, rendeu problemas à CBF. Em sua entrevista após a escalação dos convocados para a Copa, no Rio, Dunga se mostrou irritado com as críticas, feitas, principalmente, em relação à falta de atletas criativos no time.
Na concentração na África, foram constantes os atritos entre o treinador e a imprensa. O momento mais tenso foi quando Dunga, depois de dirigir-se ao repórter Alex Escobar, da TV Globo, balbuciou palavrões que foram captados pelos microfones, causando constrangimento e rendendo um editorial de repúdio a sua postura durante o Fantástico, programa dominical da emissora.



Fonte: Revista Veja
Anúncios

Conexão África: O diário da Copa!

Placar da Copa

Eslovênia 0 x 1 Inglaterra
Estados Unidos 1 x 0 Argélia
Austrália 2 x 1 Sérvia
Gana 0 x 1 Alemanha
França 1 x 2 África
México 0 X 1 Uruguai
Grécia 0 x 2 Argentina
Nigéria 2 X 2 Coreia do Sul

Países que já garantiram vaga para próxima fase da Copa
GRUPO A
Uruguai
México

GRUPO B
Argentina
Coreia do Sul

GRUPO C
EUA
Inglaterra

GRUPO D
Alemanha
Gana

Extras
Robben evita comparações com Messi Robben deve finalmente jogar na Copa do Mundo de 2010. Recuperado de lesão na coxa esquerda, o atacante pode atuar alguns minutos contra Camarões e sua presença na Holanda é considerada por muitos torcedores de grande importância para o time.
Grande estrela da seleção, Robben teve uma grande temporada pelo Bayern de Munique e sonha, em breve, ser escolhido o melhor jogador do mundo. Mas, por enquanto, ele quer evitar comparações com o argentino Messi, que detém o posto e é grande candidato para este ano também.
– A comparação com Messi não vale. Permitam-me primeiro jogar. E depois vamos ver. O que eu quero é ser o melhor. Eu sei que eu posso, mas não vamos exagerar – afirmou Robben ao site do jornal holandês “De Telegraaf.”
Depois de gol, Palermo sonha mais alto: ‘Troco tudo por levantar a taça’

Um pouco de insônia. Esse foi o preço do sonho realizado por Martín Palermo, nesta terça-feira. Instruído por Maradona a “definir o jogo” diante da seleção da Grécia, o veterano atacante, de 36 anos, entrou em campo com apenas dez minutos para o apito final e marcou o segundo gol da vitória argentina por 2 a 0. Apesar da alegria e do que considera ter sido um momento ainda mais importante em sua carreira que o gol heroico sobre o Peru nas eliminatórias, o jogador, que disputa sua primeira Copa do Mundo, diz que ainda falta muito para que possa considerar cumprida sua missão na África do Sul. Os hermanos encaram a seleção mexicana, no domingo, às 15h30m (de Brasília), pelas oitavas de final.
– Troco tudo por levantar a taça – declarou, em entrevista coletiva, nesta quarta.
Com o ótimo desempenho de sua seleção na primeira fase – três vitórias, em três jogos – Palermo ressaltou a importância de voltar o pensamento para a sequência da competição.
– É preciso pensar no que está por vir. Tomara que venha algo mais. Mas ainda falta um longo caminho, e o objetivo é o dia 11 de julho. Temos que seguir avançando. Já estamos pensando no México.
Enquanto conta os dias e trabalha para levar a Argentina à final, o experiente jogador prefere não comentar as negociações para renovar com o Boca Juniors.
– Não é o momento de falar disso. Mas quero que respeitem minhas condições, que eles já conhecem – concluiu.

Após eliminação, Domenech se recusa a cumprimentar Parreira
Uma pequena polêmica marcou o fim de jogo entre França e África do Sul, que terminou com a vitória por 2 a 1 dos Bafana Bafana . O técnico brasileiro Carlos Alberto Parreira foi cumprimentar o francês Raymond Domenech, que se recusou a apertar a mão de Parreira. Irritado, o brasileiro chegou a agarrar Domenech, que se esquivou e evitou falar com Parreira. Já na entrevista coletiva, Parreira explicou o episódio.
– Não houve diálogo. Eu lamento muito o que aconteceu. Trabalhamos muito sob pressão e é questão de respeito o cumprimento no fim da partida. O auxiliar dele, pouco mais polido e mais educado, falou que eu comentei sobre o gol do Henry há um ano atrás. Eu não lembro de ter dito isso. Essa atitude mostra o porquê de ele (Domenech) não ser querido na França – disse Parreira.

Crise na seleção francesa vira caso de Estado

A crise na seleção francesa atingiu patamares inimagináveis. Chegou ao Estado. No fim da noite desta segunda-feira, a ministra francesa da Saúde e Esporte, Roselyne Barchelot, esteve em Bloemfontein e conversou com os jogadores franceses após o escândalo que tomou conta da equipe na Copa do Mundo. Mais do que isso: Barchelot garantiu que se trata de uma questão da imagem da pátria em jogo.
– O governo francês não intervém no esporte, salvo em caso que a reputação do país inteiro esteja em jogo, o que é o caso hoje. O futebol francês enfrenta um desastre. Não porque perdemos um jogo, mas porque esse desastre é moral. Vou realizar uma auditoria externa, por um escritório independente, de tudo que aconteceu nesta Copa do Mundo. Os jogadores serão consultados nessa auditoria – disse Barchelot.
A mão de ferro do goveno francês diante da crise não para por aí. A ministra falou um pouco da conversa que teve com os jogadores e confessou que alguns chegaram a chorar ao serem indagados sobre como querem ser lembrados no futuro. Apesar da emoção, Roselyne Barchelot disse que anunciou medidas profundas no esporte francês, como a assinatura de um compromisso de ética antes de convocações para competições oficiais.
– Agora quero que em cada competição internacional, na Eurocopa ou na Copa do Mundo, quero que um compromisso de ética seja alvo de uma leitura solene e que cada jogador assine esse compromisso, que é algo que não aconteceu nesta Copa do Mundo. Quem não se comprometer com essa carta, é uma questão simples: não participará e não será selecionado – disse Roselyne Barchelot.

Árbitros da Copa treinam com vuvuzelas no sistema de som

Se o treinamento as seleções podem desfrutar de raros momentos de silêncio, os árbitros, nem isso. Como se não bastasse o fato de serem alvo de muitas hostilidades, os juízes que apitam as partidas da Copa do Mundo também precisam conviver com o barulho das vuvuzelas também durante o trabalho de preparação. Durante uma atividade realizada na Ondendaal High School, na cidade de Pretória, nesta segunda-feira, a Fifa incluiu o barulho das cornetas no sistema de som.
– O barulho das vuvuzelas é o maior obstáculo dos árbitros nesta Copa, mas estamos em igualdade de circunstâncias com os jogadores. Fazemos um trabalho diário de habituação a esse ruído, que é verdadeiramente ensurdecedor – admitiu o árbitro português Olegário Benquerença, ao site luso “Mais Futebol”.
O juiz, que apitou o jogo entre Japão e Camarões e está escalado para dirigir Nigéria x Coreia do Sul, garante que este fato não é um problema. Olegário Benquerença lembra que o som das vuvuzelas não diminui sua motivação por trabalhar pela primeira vez numa Copa do Mundo.
– Após os cinco minutos de jogo é igual a todos os outros. Até esquecemos o ambiente que nos rodeia. Antes disso, e sobretudo nos dez minutos anteriores a entrar em campo, é uma sensação única de estar ali, de ser visto pelo mundo inteiro. Um privilégio – destacou.
Durante o treinamento, os árbitros foram submetidos a diversas situações que podem acontecer nas partidas. A ideia era que os juízes reagissem com rapidez e precisão a lances controversos ou de difícil interpretação. O brasileiro Carlos Eugênio Simon participou da atividade.

Atletas

BOMBA: Kaká acusa jornalista de perseguição religiosa e nega dores no púbis Kaká mostrou nesta terça-feira que não está disposto a dar a outra face. Em entrevista coletiva, o jogador acusou Juca Kfouri, colunista da ‘Folha de S. Paulo’, de persegui-lo por motivos religiosos. O jornalista publicou, na semana passada, uma nota dizendo que o meia tem sérios problemas no púbis, tão graves que ameaçariam sua carreira. O recado foi dado após uma pergunta de André Kfouri, repórter de uma emissora brasileira e filho de Juca.
– Há algum tempo os canhões do teu pai têm me atingido, não para me criticar por motivos profissionais, mas por causa da minha fé em Jesus Cristo. Do mesmo jeito que eu respeito o Juca Kfouri como ateu, eu queria que ele me respeitasse por acreditar em Jesus Cristo. Milhões de pessoas acreditam em Jesus e ele precisa respeitar isso.
Sobre o problema no púbis, que o afastou de grande parte da temporada, Kaká disse estar recuperado.
– Sinto dores, mas não na região do púbis. Sinto dores como todos os outros jogadores sentem depois dos jogos. Não é algo que me atrapalhe – falou o meia.
O jogador, porém, se contradisse mais à frente. Perguntado se iria operar o local após a Copa, Kaká disse que não, mas deu a entender que realmente ainda sente o problema.
– Não penso nisso no momento, até porque a maioria dos médicos não aconselha uma cirurgia. É algo que vou pensar apenas depois da Copa, porque necessita de uma avaliação mais profunda
Kaká se apresentou para a Copa do Mundo com problema muscular na coxa esquerda. Antes disso, porém, conviveu com problema sério de pubalgia. Por sinal, foi essa lesão que impediu o meia de repetir no Real Madrid o mesmo desempenho do Milan.
Durante a preparação para a Copa do Mundo, nos amistosos contra Zimbábue e Tanzânia, Kaká esteve bem longe do ideal. Na estreia no Mundial, contra a Coreia do Norte, melhorou um pouco, mas seguiu aquém do esperado. Somente diante da Costa do Marfim é que a atuação do meia foi melhor, com assistências para os gols de Luis Fabiano e Elano.
– Minha recuperação está sendo ótima. Contra a Costa do Marfim já consegui dar umas arrancadas características, fazer jogadas mais rápidas e isso me deixa confortável dentro de campo – falou o camisa 10 do Brasil.
O problema é que por conta do cartão vermelho levado na partida com os africanos, Kaká está fora do duelo de sexta-feira contra Portugal, em Durban.

Conexão África: As últimas da Copa!

Placar da Copa

INGLATERRA 0 X 0
ESLOVÊNIA 2 x 2 ESTADOS UNIDOS
ALEMANHA 0 X 1 SÉRVIA
ARGENTINA 4 X 1 COREIA DO SUL
GRÉCIA 2×1 NIGÉRIA
FRANÇA 0 X 2 MÉXICO

Extras

Parreira diz que quer se despedir da Copa do Mundo de cabeça erguida Carlos Alberto Parreira quer encerrar a participação dos Bafana Bafana na Copa do Mundo de 2010, contra a França, na próxima quarta-feira, fazendo bonito diante de sua torcida.
– Nosso grupo é muito forte e a França é sempre uma equipe difícil de derrotar, mas temos que jogar com muita determinação, pensando em ganhar e em poder deixar a competição com a cabeça erguida – disse.
Apesar do tom de despedida, a seleção da África do Sul tem, ainda que remotas, chances de classifcação às oitavas de final. Para que isso aconteça, a equipe do país anfitrião terá de torcer para que haja um vencedor na partida entre México e Uruguai, líderes do Grupo A, com quatro pontos.
Além disso, os Bafanas terão de fazer o dever de casa e vencer a França por uma diferença que possa passar o perdedor do outro jogo no saldo de gols.

Uruguaios ignoram o regulamento e irão a campo para vencer o México A vitória por 3 a 0 sobre a África do Sul já ficou para trás e os jogadores do Uruguai já projetam a partida contra o México, terça-feira que vem, em Rustemburgo. Apesar de um empate garantir ambos na segunda fase, os uruguaios garantem que vão jogar para vencer. O time que confirmar a liderança do grupo A jogará as oitavas de final contra o segundo colocado do grupo B, evitando o provável confronto contra a favorita Argentina.
– É certo que um empate nos favorece porque nós terminaríamos em primeiro no grupo, mas não podemos pensar nisso porque nos complicaria no dia do jogo – avaliou o jovem atacante Sebastian Fernandez.
No momento, uruguaios e mexicanos somam quatro pontos, mas a Celeste aparece como primeira colocada por ter melhor saldo de gols (três, contra dois dos mexicanos).
– O empate é um resultado bom para nós, mas uma equipe que vai a campo para empatar acaba perdendo. Temos que sair para o jogo e tentar vencer a partida – disse o meia Álvaro Fernandez, após o treino realizado na cidade de Kimberley.
Irritado quando um jornalista argentino perguntou se a intenção de Uruguai e México seria de fato evitar os argentinos, o técnico Oscar Tabárez foi irônico.
– Estamos pensando nos rivais do nosso grupo, não na Argentina. Se tivermos que enfrentá-los vamos enfrentá-los. Ou então a gente pode se retirar da Copa do Mundo – respondeu o treinador.
Sobre a postura da sua equipe, Oscar Tabárez disse que não quer os seus comandados pensando na vantagem do empate.
– Temos, sim, que aproveitar o que conseguimos. Mas não podemos deixar que o que conseguimos nos coloque em uma situação ruim. É uma partida de futebol como qualquer outra, só que agora jogamos em condições iniciais melhores do que as do nosso adversário – avaliou.

Iniesta não preocupa a seleção espanhola Além de perder por 1 a 0 para a Suíça em sua estreia no Grupo H da Copa do Mundo, a Espanha ainda levou um susto com Iniesta, que precisou ser substituído no segundo tempo da partida. Porém, o meia, que antes do Mundial vinha sofrendo com dores musculares, tratou de tranquilizar a todos ao dizer que nada sofreu e garantiu presença nas próximas partidas.
– Levei uma pancada forte no lado da coxa, que me deixou mal. Mas não foi nada grave e não vai me impedir de estar pronto para os próximos jogos – disse ao Mundo Deportivo.
Depois de realizar alguns exames, o departamento médico espanhol confirmou que Iniesta realmente não preocupa. Outros dois jogadores também precisaram de cuidados. O zagueiro Piqué sofreu uma pancada na cabeça e levou alguns pontos. Sergio Ramos foi também sofreu uma pancada durante o jogo com a Suíça. Os três, porém, não devem ser problema para o próximo compromisso da Espanha, na próxima segunda-feira, contra Honduras, às 15h30 (de Brasília).

Notícias da Seleção brasileira

Julio Cesar tenta esquecer Jabulani Primeiro jogador da seleção brasileira a criticar Jabulani, a bola da Copa do Mundo da África do Sul, Julio Cesar ainda não mudou de ideia. Nesta sexta-feira, em entrevista coletiva no Randpark Golf Clube, em Joanesburgo, o goleiro do Brasil mostrou que não mudou de ideia e afirmou querer esquecer o assunto.
– Critiquei a bola na minha primeira entrevista porque ela mudou bastante. Até recebi algumas críticas por isso, vi algumas pessoas dizendo que serviria de desculpa. Mas quem está jogando e treinando sabe que ela é diferente. Porém, depois que a bola rola temos de esquecer a Jabulani – falou o camisa 1.
À época da primeira crítica, Julio Cesar disse que a bola era “horrorosa” e que parecia “aquelas que vendem em supermercado”. Mas aquilo foi apenas o pontapé inicial para uma série de críticas e brincadeiras em relação à Jabulani.
– A bola não foi apenas criticada pelos goleiros. Alguns atacantes também reclamaram. Mas a Copa do Mundo já começou e eu não quero mais comentar sobre essa situação. Isso já passou – finalizou o goleiro da seleção brasileira.
Depois de Julio Cesar, Luis Fabiano disse que a bola era “sobrenatural” e o volante Felipe Melo a chamou de “patricinha”. Em outras seleções, como por exemplo na da Espanha, a Jabulani também foi criticada. Mas todos tiveram de se adaptar.

Atletas
Blanco é o 1º mexicano a marcar gols em três Copas O atacante Cuauhtémoc Blanco se tornou nesta quinta o primeiro jogador do México a fazer gols em três Copas do Mundo, ao converter o pênalti da vitória por 2 a 0 sobre a França, pela segunda rodada do Grupo A.
Blanco, o jogador mais veterano de sua seleção, participou dos Mundiais de 1998 (na França), de 2002 (Coreia-Japão) e agora no de 2010 (África do Sul), após ficar de fora da edição de 2006 (Alemanha).
Na Copa de 1998, Cuauhtémoc marcou um gol contra a Bélgica e na de 2002 anotou contra a Croácia.
O mexicano Luis Hernández é o artilheiro do México na história das Copas, com quatro gols, no Mundial de 1998, na França.

Segunda tem mais, nesse mesmo horário. Não perca!
Realização: UHTV + Esporte Jovem

Conexão África: Os destaques do mundial estão aqui!

Placar da Copa

África do Sul 0 x 3 Uruguai
Espanha 0 x 1 Suíça
Honduras 0 X 1 Chile
Brasil 2 X 1 Coreia do Norte
Costa do Marfim 0 x 0 Portugal
Alemanha 4 X 0 Austrália
Holanda 2 X 0 Dinamarca
Japão 1 x 0 Camarões
Itália 1 x 1 Paraguai
Nova Zelândia 1 X 1 Eslováquia

Notícias da seleção brasileira

Michel Bastos dá nota sete para a estreia da seleção na Copa
Assim como os seus companheiros de seleção brasileira, o lateral-esquerdo Michel Bastos iniciou a partida diante da Coreia do Norte, na última terça-feira, em Joanesburgo, de forma tímida. Aos poucos, o jogador foi se soltando e ajudou o Brasil a vencer os asiáticos por 2 a 1, na estreia da Copa do Mundo. Na opinião do camisa 6, o time ainda precisa melhorar em alguns aspectos para sonhar com o título da competição.
– Eu dou um sete. Tem que melhorar algumas coisas, nunca pode dizer que está bom, mas a equipe está de parabéns pelo que fez na estreia – afirmou Bastos.
O lateral-esquerdo da seleção brasileira admitiu que iniciou a partida com um certo nervosismo. Para ele, a estreia de qualquer jogador em uma Copa do Mundo passa por tal situação.
– É uma Copa do Mundo e o pessoal ainda está acanhado. É tensão, dá um friozinho na barriga. Para que as coisas começem bem e sigam bem, nós temos que começar com a vitória, temos essa pressão de jogar bem. Mas aos poucos as coisas começaram a vir ao natural dentro do jogo. O mais importante era a vitória – analisou o jogador, que lamentou não ter acertado o gol em cobrança de falta no segundo tempo da partida.
Michel Bastos comentou ainda o primeiro gol brasileiro, marcado por Maicon. Para ele, a seleção brasileira pode marcar muitas vezes se souber aproveitar o avanço dos dois laterais.
– Chutes dos laterais podem ajudar. Coma a Coreia estava jogando atrás, nós tínhamos que arriscar um pouco mais. Eu arrisquei e não marquei, mas vou continuar atacando. Ainda tenho muito o que fazer, trabalhar – disse o lateral.
A seleção brasileira vai voltar a campo no próximo domingo, contra a Costa do Marfim, no Soccer City, também em Joanesburgo. O Brasil lidera o Grupo G, com três pontos. Os africanos ocupam a segunda colocação, ao lado de Portugal, apenas com um. A Coreia do Norte está em último lugar.

Imprensa internacional destaca a falta de brilho do Brasil
A estreia da Seleção não convenceu a grande parte da imprensa internacional. Nos mais importantes jornais esportivos do mundo, o destaque era para a dificuldade do Brasil em derrotar a Coreia do Norte. Todos se surpreenderam com a exibição dos norte-coreanos.
Confira abaixo as principais manchetes:

ARGENTINA

Olé – Um presente da Coreia
O Brasil ganhou e teve enorme ajuda do goleiro coreano. Mereceu a vitória, mas mostrou deficiências no ataque. O time não assustou, mas também não sofreu.

ITÁLIA

La Gazzetta dello Sport – Coreia assusta o Brasil
O Brasil venceu por 2 a 1. O resultado era esperado, mas não foi tão fácil para a Seleção. Maicon fez o primeiro e acabou com o medo inicial. Elano marcou o segundo e tornou inútil o gol de Ji Yun Nam para a Coreia no fim da partida.

FRANÇA

L’Équipe – Vitória sacode o Brasil
Como era esperado, o Brasil estreou na Copa com uma vitória sobre a Coreia do Norte, por 2 a 1. Mas não foi tão fácil. A Seleção de Dunga só conseguiu mostrar superioridade para vencer após o intervalo.

ESPANHA

Mundo Deportivo – Brasil sofre, mas ganha
Um gol de Maicon e outro de Elano deram ao Brasil a vitória contra a Coreia, que assustou o time de Dunga com uma defesa muito bem armada no primeiro tempo.

PORTUGAL

Record – Vitória sem deslumbrar
A exibição não foi deslumbrante. Mesmo assim, o Brasil venceu a Coreia do Norte por 2 a 1 e assumiu a liderança do Grupo G.

INGLATERRA

The Guardian – Toque final para vencer
Em uma noite com frio abaixo de zero, o Brasil começou a luta pelo sexto título mundial com uma vitória apertada sobre a Coreia.

ALEMANHA

Kicker – Maicon faz com efeito
Cinco vezes campeão do mundo, o Brasil venceu, sem brilho, uma Coreia do Norte com muita disciplina defensiva e coletividade.

Ultimas notícias da Copa

‘Temos de aproveitar bom momento contra a Sérvia’, diz volante alemão
O volante da Alemanha Sami Khedira acredita que a grande vitória sobre a Austrália por 4 a 0, no domingo, na estreia da Copa do Mundo, ajudará a equipe na segunda partida no Mundial, diante da Sérvia, na próxima sexta-feira, em Porto Elizabeth.
– Nós temos que estar muito concentrados na partida. Nós precisamos aproveitar nosso bom momento do jogo contra Austrália neste jogo – disse o jogador do Stuttgart, ao site da federação do seu país.
O volante alertou para o desespero da Sérvia, que foi derrotada por Gana na primeira rodada:
– Não será uma partida fácil porque os sérvios precisam da vitória. Para eles, já será uma final, e eles têm muitos bons jogadores.
Por último, Khedira afirmou que a goleada na estreia não significa que a Alemanha já esteja pronta para levar o título:
– Estamos focados no torneio. Nós tivemos um bom começo, mas sabemos que devemos continuar trabalhando duro. Queremos a segunda vitória e precisamos jogar futebol. Nós sempre podemos melhorar.

Maradona detona Platini e manda Pelé para o museu
Diego Armando Maradona não perde mesmo nenhuma oportunidade de entrar em polêmicas. Dessa vez, no entanto, o técnico da Argentina apenas respondeu a recentes críticas recebidas. Em entrevista coletiva na manhã desta quarta-feira, ele voltou a falar sobre outros ex-craques: Pelé e Michel Platini.
O brasileiro afirmou na última semana que, ao participar de um programa de entrevistas comandado por Maradona, em 2005, deu uma força ao rival, que só se tornou técnico da seleção porque estava precisando de dinheiro. De acordo com Pelé, sua contratação foi um erro de Julio Grodona, presidente da Associação de Futebol Argentina.
– Não vou falar do Pelé porque ele tem de voltar para o museu – respondeu Maradona.
O comandante dos “hermanos” foi ainda mais ríspido ao falar do francês Platini. O presidente da Uefa disse não confiar em Maradona no cargo e que, como técnico, ele era um grande jogador.
– Isso não me surpreende, sempre tivemos uma relação distante. Oi, tchau e nada mais. Mas sabemos como são os franceses, ele é francês e se acha maior do que todo mundo – rebateu o ex-craque.
Maradona aproveitou também o assunto Jabulani para reforçar as críticas à dupla. Questionado sobre a qualidade da bola da Copa do Mundo, o treinador se esquivou da resposta, mas mandou um recado ao brasileiro e ao francês.
– Não quero falar da bola porque todo mundo já falou: goleiros, jogadores… Ela influi bastante, mas acho que o Pelé e o Platini poderiam ver se a bola é boa ou ruim em vez de ficarem falando de mim – disparou.

Fifa nega pedido e França fica sem terceiro goleiro
Nesta quarta-feira, a Fifa recusou o pedido feito pela Federação Francesa (FFF) para substituir Cédric Carrasso, terceiro goleiro da seleção, que sofreu uma lesão muscular durante treino.
– O pedido foi rechaçado pela Comissão de Organização, que considerou não se tratar de um caso de força maior, como se destaca no artigo 26.4 do regulamento da Copa do Mundo – informou a Fifa em comunicado oficial.
Pelas regras do torneio, um jogador só pode ser substituído na lista de 23 atletas até 24 horas antes do primeiro jogo de sua seleção. A França estreou no Mundial na última sexta-feira, quando empatou sem gols com o Uruguai.

Thierry Henry pode ser titular contra o México
Reserva na estreia da seleção francesa na Copa do Mundo (empate sem gols com o Uruguai), o atacante Thierry Henry poderá começar a partida contra o México, a segunda dos Bleus na competição, como titular.
Após uma primeira rodada com dois empates no grupo A – África do Sul e México ficaram no 1 a 1 -, a França precisará de uma vitória para não correr riscos de ficar fora das oitavas de final.
Para isso, o técnico Raymond Domenech cogita apostar em Henry, que não teve boa temporada no Barcelona, mas segue com prestígio com os torcedores, que o preferem aos titulares Nicolas Anelka e Sidney Govou e exigem sua escalação.
Boa parte do próprio elenco francês manifestou apoio ao experiente atacante, único remanescente do grupo que se sagrou campeão mundial em 1998.
– Ele passou por maus momentos no Barcelona, especialmente nos seis últimos meses, e não tenho certeza de que aceita bem a reserva, mas o importante é que não perdeu sua concentração – comentou o lateral Abidal, que acrescentou ainda que “há jogadores que pagam o pato em qualquer sistema tático”.
– O 4-4-2 era sólido (contra o Uruguai), mas não sei se o técnico seguirá com esta formação ou se voltará ao 4-3-3.
Outro jogador que poderá retornar ao time titular, de acordo com o jornal “L’Equipe”, é o meia Florent Malouda, que ficou no banco contra o Uruguai apesar de ter sido escalado regularmente nos últimos amistosos antes da Copa.

Maradona ganha vuvuzela e faz mais barulho na África do Sul
O bom humor continua dando o tom da passagem de Maradona pela África do Sul como comandante da seleção argentina. Além do ambiente leve de cada treinamento dos “hermanos”, o técnico não fugiu do pedido de repórteres do jornal “Olé”, que o presentearam com uma das polêmicas vuvuzelas, e fez barulho à moda da torcida sul-africana.
Apesar da participação do treinador na brincadeira, as cornetas já se tornaram alvo da reclamação de seus jogadores. Após a vitória por 1 a 0 sobre a Nigéria, na estreia da equipe na competição, Tevez disse que a barulheira no estádio dificulta a comunicação entre os atletas em campo e os faz perder o fôlego de tanto gritar.
– A gente tenta conversar, trocar quem cai para a direita ou esquerda. Mas com a trombeta fica difícil se comunicar, é complicado (risos) – explicou o atacante, sem demonstrar qualquer sinal de irritação, no entanto.
Ao som de muitas vuvuzelas, a Argentina volta a campo, nesta quinta-feira, às 8h30m (de Brasília), para enfrentar a Coreia do Sul, pelo Grupo B do Mundial.

Buffon espera estar recuperado em dois dias
O goleiro italiano Gianluigi Buffon afirmou que espera estar recuperado em dois dias de sua lesão no nervo isquiático, que impediu de seguir em campo no segundo tempo do jogo de sua seleção contra o Paraguai nesta segunda-feira pela Copa do Mundo da África do Sul.
– Pensava que tinha sofrido uma ruptura, mas é só uma dor no nervo – afirmou o goleiro, segundo comunicado divulgado pela Fifa.
O técnico da Itália, Marcello Lippi, tinha informado após o jogo que se tratava de um problema nas costas cuja gravidade seria avaliada após exames.
– Ele sentiu uma dor nas costas no aquecimento, mas disse que poderia jogar. Ao voltar aos vestiários no intervalo, falou que não conseguiria seguir em campo. Foi ruim para nós, pois perdemos uma das substituições – lamentou.
A Itália foi para o intervalo perdendo por 1 a 0. No segundo tempo, o substituto de Buffon, Marchetti, não levou gols, e o time conseguiu buscar o empate.
Lippi não se pronunciou sobre a gravidade da lesão, e espera o diagnóstico médico para saber quando vai poder contar com o goleiro.
Esta foi apenas a segunda vez que um goleiro da seleção italiana não termina uma partida em um Mundial. A primeira foi em 1994, quando Gianluca Pagliuca foi expulso em jogo contra a Noruega. Na ocasião, o atacante Roberto Baggio foi substituído pelo goleiro Luca Marchegiani.

O “Conexão África” passa a ser diário a partir de amanhã. Você não pode perder!
Realização: UHTV + Esporte Jovem

Conexão África: Tudo do fim de semana e dessa segunda aqui!

Placar da Copa

ALEMANHA 4 X 0 AUSTRÁLIA
SÉRVIA 0 x 1 GANA
URUGUAI 0 X 0 FRANÇA
ARGENTINA 1 X 0 NIGÉRIA

Notícias da Seleção
Para Felipe Melo, repercussão de discussão é ‘palhaçada’
O volante Felipe Melo, conhecido por seu temperamento difícil, classificou como “palhaçada” a repercussão que a imprensa deu à discussão entre Julio Baptista e Daniel Alves, no treinamento da última quinta-feira. Ele garantiu que o lance foi normal e pediu união entre todos os brasileiros.
– Isso acontece em qualquer lugar. É uma palhaçada colocar que o Julio Baptista se estranhou com o Daniel Alves. Somos todos brasileiros e temos de nos unir. Se a Seleção levar a Copa do Mundo, vocês (jornalistas) serão campeões também – avisou.
O volante, que admitiu que pega pesado em alguns lances, comparou o episódio ocorrido nesta sexta-feira, no Hoerskool Randburg, com uma entrada que deu em Kaká nos primeiros treinamentos da Seleção Brasileira na África do Sul.
– Há um tempo atrás colocaram que eu dei um rapa no Kaká, mas não tinha acontecido nada disso. Não existe discussão na Seleção – garantiu.

Ronaldo incentiva atacantes da Seleção Brasileira
O centroavante do Corinthians Ronaldo divulgou nesta sexta-feira um comunicado de apoio à Seleção Brasileira. Por meio de seu twitter (@ClaroRonaldo), o Fenômeno, que disputou as copas de 1994, 1998, 2002 e 2006, contou suas experiências em Mundiais e deu conselhos especiais ao trio de frente da equipe de Dunga.
Para Kaká, chamado de gênio no comunicado, Ronaldo receitou fé. Robinho foi aconselhado a usar o que tem de melhor: sua habilidade. Luís Fabiano, herdeiro da camisa 9 – que, nas últimas três Copas, ficou nas costas do atleta do Corinthians – recebeu a benção do Fenômeno.
Ronaldo garantiu que, mesmo com sua ausência, estará torcendo para a Seleção Brasileira.
Confira, a seguir, o comunicado na íntegra:
“Dezesseis anos atrás eu senti o que vocês estão sentindo.
Era o primeiro dos meus 4 mundiais. Mesmo no banco, a emoção foi muito grande e eu ainda pude levantar o troféu junto com todo mundo e com o nosso capitão.
Em 98, não foi a madrugada, nem o hospital. Demos tudo. Mas perdemos na bola. Não foi a nossa vez.
Em 2002 foi. Fiquei meses machucado, mas voltei para fazer parte de uma família, que jogou que nem irmãos. E, na final, consegui fazer 2 gols. Campeões do mundo! Pela quinta vez!
Em 2006, um gol acabou com o nosso sonho de ser campeão pela sexta vez. Mas agora vocês tão aí, vocês têm essa chance.
Vocês têm tudo para botar uma estrela no nosso peito.
Camisa 10, meu irmão, você é gênio. Fé nessa caminhada.
Guerreiro, pra cima deles. Tenho certeza que você vai honrar a 9, que você conquistou, que agora é tua.
Moleque, pedala. Vai pra cima, põe eles pra dançar.
Depois de terça-feira vão faltar só mais 6 jogos para a final.
Disso eu posso falar, porque, melhor que a sensação do primeiro jogo, só a de levantar o troféu. Vamos lá, galera. Vamos atrás do que é nosso.
Mesmo longe, eu estou aí com vocês.”

Atletas
Michel Bastos diz que Dunga acertou em convocá-lo
Se na lateral-direita Maicon e Daniel Alves são unanimidades, na esquerda a desconfiança toma conta quanto o rendimento de Michel Bastos. Ciente de que ainda tem muito o que provar, o atual titular da posição acredita que os torcedores, ao término da Copa do Mundo, vão elogiar a opção de Dunga.
– O torcedor brasileiro tem sua escolha, é normal. Eu só tive quatro jogos dentro da Seleção Brasileira, ainda tenho muito o que mostrar e provar. Tenho bastante confiança em mim. Vou dar meu máximo para segurar a minha posição. Eu sei que no final todo mundo vai acabar dizendo que o Dunga estava certo em chamar o Michel Bastos – afirmou.
Pelo Figueirense e Atlético-PR, Michel se destacou atuando na lateral. Contratado pelo Lille (FRA), o camisa 6 começou a ser aproveitado no meio. No Lyon (FRA), suas características tornaram-se ainda mais ofensivas. De volta às origens na Seleção, a adaptação não será necessária.
– Eu sempre joguei na lateral esquerda. Cheguei no Lille e o treinador, por já ter um jogador que defendia mais a lateral, achou que eu pudesse ser mais útil no meio. No Lyon e no Lille joguei de volante, lateral e atacante. Isso ajuda muito. Hoje, você tem que jogar em várias posições diferentes. Mas a adapatação eu sabia que não ia ser complicada (na Seleção), porque eu sempre joguei nessa posição. O Dunga sabe que sempre fui lateral-esquerdo – garantiu.
Apesar da liberdade para avançar, Michel sabe que será preciso ficar mais atento na marcação. Para isso, ele contará com o apoio de Felipe Melo e Gilberto Silva.
– O Dunga conhece minhas característivas, ele sabe no que eu posso ser útil para a equipe. Ele não me bloqueia para não atacar. O Felipe (Melo) e o Gilberto (Silva) falam que eu posso ir que eles vão me cobrir. Estou em uma posição que tenho de marcar, não posso só pensar em atacar. Primeiro de tudo é defender e estar bem posicionado lá atrás, mas tenho liberdade para atacar – finalizou.

Extras
História das Copas do Mundo
De quatro em quatro anos, seleções de futebol de diversos países do mundo se reúnem para disputar a Copa do Mundo de Futebol.
A competição foi criada pelo francês Jules Rimet, em 1928, após ter assumido o comando da instituição mais importante do futebol mundial: a FIFA ( Federation International Football Association).
A primeira edição da Copa do Mundo foi realizada no Uruguai em 1930. Contou com a participação de apenas 16 seleções, que foram convidadas pela FIFA, sem disputa de eliminatórias, como acontece atualmente. A seleção uruguaia sagrou-se campeã e pôde ficar, por quatro anos, com a taça Jules Rimet.
Nas duas copas seguintes (1934 e 1938) a Itália ficou com o título. Porém, entre os anos de 1942 e 1946, a competição foi suspensa em função da eclosão da Segunda Guerra Mundial.
Em 1950, o Brasil foi escolhido para sediar a Copa do Mundo. Os brasileiros ficaram entusiasmados e confiantes no título. Com uma ótima equipe, o Brasil chegou à final contra o Uruguai. A final, realizada no recém construído Maracanã (Rio de Janeiro – RJ) teve a presença de aproximadamente 200 mil espectadores. Um simples empate daria o título ao Brasil, porém a celeste olímpica uruguaia conseguiu o que parecia impossível: venceu o Brasil por 2 a 1 e tornou-se campeã. O Maracanã se calou e o choro tomou conta do país do futebol.
O Brasil sentiria o gosto de erguer a taça pela primeira vez em 1958, na copa disputada na Suécia. Neste ano, apareceu para o mundo, jogando pela seleção brasileira, aquele que seria considerado o melhor jogador de futebol de todos os tempos: Edson Arantes do Nascimento, o Pelé.
Quatro anos após a conquista na Suécia, o Brasil voltou a provar o gostinho do título. Em 1962, no Chile, a seleção brasileira conquistou pela segunda vez a taça.
Em 1970, no México, com uma equipe formada por excelentes jogadores ( Pelé, Tostão, Rivelino, Carlos Alberto Torres entre outros), o Brasil tornou-se pela terceira vez campeão do mundo ao vencer a Itália por 4 a 1. Ao tornar-se tricampeão, o Brasil ganhou o direito de ficar em definitivo com a posse da taça Jules Rimet.
Após o título de 1970, o Brasil entrou num jejum de 24 anos sem título. A conquista voltou a ocorrer em 1994, na Copa do Mundo dos Estados Unidos. Liderada pelo artilheiro Romário, nossa seleção venceu a Itália numa emocionante disputa por pênaltis. Quatro anos depois, o Brasil chegaria novamente a final, porém perderia o título para o pais anfitrião: a França.
Em 2002, na Copa do Mundo do Japão / Coréia do Sul, liderada pelo goleador Ronaldo, o Brasil sagrou-se pentacampeão ao derrotar a seleção da Alemanha por 2 a 0.
Em 2006, foi realizada a Copa do Mundo da Alemanha. A competição retornou para os gramados da Europa. O evento foi muito disputado e repleto de emoções, como sempre foi. A Itália sagrou-se campeã ao derrotar, na final, a França pelo placar de 5 a 3 nos pênaltis. No tempo normal, o jogo terminou empatado em 1 a 1.
Em 2010, pela primeira vez na história, a Copa do Mundo será realizada no continente africano. A África do Sul será a sede do evento.
Em 2014, a Copa do Mundo será realizada no Brasil. O evento retornará ao território brasileiro após 64 anos, pois foi em 1950 que ocorreu a última copa no Brasil.

Curiosidades sobre a História da Copa do Mundo de Futebol

– O recorde de gols em Copas é do francês Fontaine com 13 gols;
– O Brasil é o único país que participou de todas as Copas do Mundo;
– O Brasil é o país com mais títulos conquistados: total de cinco;
– A Itália foi quatro vezes campeã mundial. A Alemanha foi três vezes, seguida das bi-campeãs Argentina e Uruguai. Inglaterra e França possuem apenas um título cada;
– A Copa do Mundo é o segundo maior evento esportivo do planeta;
– As Copas do Mundo da França (1998) e Japão / Coréia do Sul (2002) foram as únicas que tiveram a participação de 32 seleções. A Copa do Mundo da Alemanha 2006 teve o mesmo número de seleções participantes.

Os campeões de todos os tempos

Uruguai (1930) / Itália (1934) / Itália (1938) / Uruguai (1950) / Alemanha (1954) / Brasil (1958) / Brasil ( 1962) / Inglaterra ( 1966) / Brasil (1970) / Alemanha (1974) / Argentina (1978) / Itália (1982) / Argentina (1986) / Alemanha (1990) / Brasil (1994) / França (1998) / Brasil (2002), Itália (2006).

Lembre-se: Amanhã, nesse mesmo horário, teremos uma edição especial do “Conexão África”.

Realização: UHTV + Esporte Jovem

Conexão África: A copa começou e aqui a notícia é garantida!

Notícias da Seleção
Robinho dá entrevista e leva puxão de orelhas de DungaO técnico Dunga segue com seu esquema rígido na Seleção, desagradando gente da própria comissão técnica, conforme a De Prima informou na última semana, e também alguns jogadores. Nesta quarta-feira, o atacante Robinho tomou um puxão de orelhas do treinador. O motivo: ter concedido uma entrevista no dia de sua folga.
Robinho e Elano optaram por passear no Nelson Mandela Square, um complexo comercial em Johannesburgo, no dia de folga após a goleada por 5 a 1 sobre a Tanzânia. Durante o passeio, encontraram com o repórter Mauro Naves, da Rede Globo, que pediu-lhes uma entrevista. Elano negou, mas Robinho concordou.
Dunga entende que ele teria descumprido uma ordem, de não dar entrevistas exclusivas durante a Copa, mesmo durante o dia de folga. Por isso, chamou a atenção do atleta na concentração, após ter visto a matéria.
Robinho é um dos poucos jogadores que não segue a doutrina do técnico ao pé da letra. Embora não conteste, sempre gostou de ter a imprensa ao seu lado. Durante os treinos, é o único jogador que faz malabarismos com a bola para os câmeras e fotógrafos. Lembra um pouco o que Ronaldinho Gaúcho fazia em 2006.
Atletas
Ramires, Daniel Alves e Josué: As peças chave de DungaA menos de uma semana da estreia na Copa, Dunga ganhou uma dúvida saudável, em pelo menos duas posições no meio de campo. Nos treinos e nos amistosos, as formações opcionais renderam mais do que o time que era projetado para o Mundial. São algumas das variações que o técnico pode utilizar para deixar o time com diversas caras.
De acordo com Dunga, ele precisa de alternativas para deixar o time com outras caras durante o jogo. Seriam estas as cartas na manga para suprir a falta de peças de maior qualidade no setor de criação. A julgar pelo amistoso contra a Tanzânia e pela trajetória na Seleção, ele parece estar no caminho certo.
– Eu trouxe um grupo com jogadores de diversas características, para serem aproveitados no momento oportuno. São pedidas variações, as variações estão aí. Dependendo do adversário, da característica, podemos mudar o ritmo do jogo. Tenho de ter uma equipe-base e ter peças para mudar durante o jogo – explica, deixando claro o seu pensamento de não mexer no time, ao menos por enquanto.
Mas é o próprio técnico que sempre teve o discurso de que “os jogadores é que se escalam, não o técnico”. Nos treinos, o time titular não consegue criar e até agora não marcou um gol em coletivos. Nos amistosos, o mesmo problema se repete. Enquanto os titulares parecem segurar o ritmo, poupando-se para o jogo de terça-feira, os reservas mostram muita disposição e um futebol bem mais agradável. E não será surpresa se as camisas dos titulares mudarem de dono em breve.
Extras
Confira as Imagens da abertura da Copa do Mundo
Placar da Copa

África do Sul e México empatam em 1 a 1 na abertura da Copa.
Uruguai e França empataram também, só que em 0 a 0.

Segunda tem mais e na terça, não esqueça, Brasil joga, por isso, teremos uma edição também na terça!
Conexão África é uma realização do UHTV + Esporte Jovem

O 1° jogo e o 1° empate da Copa.

Com a sensação de que um enxame de abelhas iria sair a qualquer momento da TV, provocado pelo zunir, sabe Deus de quantas vuvuzelas em campo, começa o 1° jogo da Copa do Mundo.

1° tempo – México foi melhor em campo

As duas equipes entraram nitidamente nervosas em campo, os bafanas bafanas sentiram mais os primeiros minutos. Após 15 minutos de jogo as duas seleções já estavam mais relaxadas. O México teve as melhores oportunidades de gols no 1° tempo, à defesa da África do Sul mostrou falhas que favoreceram o ataque do México que não soube converte em gols, na estreia já podemos notar o estilo Parreira impresso na seleção butterfly, com muitos toques em campo e chutes a gols no final do 1° tempo.

2° tempo – África do Sul joga melhor mas não vence o México.

Aos 9 minutos, Mphela ligou o contra-ataque com um lindo lançamento rasteiro para Tshabalala que fez um golaço, 1 x 0 África do Sul.

Aos 24 minutos Modise entrou na área, e Rodriguez o deslocou com o braço esquerdo. Pênalti ignorado pelo juiz Ravshan Irmatov. Seria o 2° gol da África do Sul.

Aos 33 minutos Guardado cruzou da esquerda, e a bola passou por todo mundo até chegar aos pés de Rafa Márquez. Ele dominou no bico da pequena área e soltou de pé direito uma bomba à queima-roupa, sem chances para Khune, mergulhando o Soccer City em silêncio. Gol do México 1 x 1.

Aos 44 minutos, Mphela teve a chance de fazer o estádio explodir novamente, mas a bola bateu na trave.

Fim de jogo

Conexão África: Tudo sobre a copa!

Notícias do Brasil

Ruas do Rio se pintam de verde e amarelo de olho na Copa do Mundo

A quatro dias do início da Copa do Mundo da África do Sul e a oito da estreia brasileira no Mundial, os cariocas dão os últimos retoques na decoração das ruas da cidade. Como não poderia deixar de ser, os tradicionais verde e amarelo são os tons predominantes nos enfeites que decoram as ruas.

No bairro do Engenho de Dentro, na zona norte do Rio, a rua Doutor Leal é enfeitada pelos moradores desde o Mundial de 1982. A “Turma da Leal” se inspirou na fauna africana na hora de decorar a rua: alegorias de leões, girafas e zebras estão espalhadas pelas calçadas.

Bandeirinhas verdes, amarelas, brancas e azuis formam um falso teto por toda a rua, cujo asfalto está cheio de desenhos com o logotipo do Mundial da África do Sul e frases de apoio à seleção. Enormes recriações da taça do Mundial também fazem parte da decoração.

Na rua Jorge Rudge, no bairro de Vila Isabel, também na zona norte carioca, um grande portal coberto de máscaras africanas dá as boas-vindas a quem passa pelo local. Sobre as cabeças, um sem-fim de bolas de futebol e bandeirinhas.

As paredes foram adornadas com retratos de ícones do futebol brasileiro, como Pelé e o técnico da seleção, Dunga, mas também há espaço para personalidades como o ex-presidente sul-africano Nelson Mandela ou o sempre polêmico Diego Maradona, treinador da seleção argentina.

Algumas dessas ruas participam de um concurso “Essa Rua é Fera”, promovido pelo RJTV, que vai premiar a rua mais “verde e amarela” do Rio. A maioria, entretanto, decora suas paredes, calçadas e árvores com figuras, bandeirinhas e pinturas apenas para expressar seu sonho de que o Brasil volte da África do Sul com o sexto título mundial na bagagem.

Extras

Torcedores apostam em novos cantos para levar Coreia do Sul às fases finais

Na Copa de 2002 os sul-coreanos – e donos da casa – puderam acompanhar a melhor campanha de sua seleção na história das Copas. Motivados pelos “Diabos Vermelhos”, os jogadores da Coreia do Sul chegaram às semifinais do Mundial tendo eliminado a Itália na oitavas de final e a Espanha nas quartas. A força e a paixão da torcida surpreendeu a todos e certamente ajudou bastante no desempenho do time durante o Mundial. É com base no que aconteceu naquele ano que os integrantes do “Red Devils” querem repetir o feito na África do Sul. Mas para alguns de seus membros é preciso inovar na maneira de se comportar nas arquibancadas. Para os organizadores da torcida, os cantos e gritos devem ser renovados a todo momento como forma de estimular a seleção:

– Como vimos no amistoso com a Bielorrússia (a Coreia do Sul perdeu por 1 a 0) alguns coreanos que vivem fora do país têm se limitado a aplaudir – reclamou Park Chang-hyun, integrante dos “Red Devils”.

Park, que chega a África do Sul no fim da semana acompanhado de outros membros dos “Diabos Vermelhos”, espera unir o grupo a mais torcedores para juntos darem uma força à equipe sul-coreana.

– Provavelmente vai levar um tempo para que os novos adeptos aprendam os novos cantos. Sendo assim, vamos começar a animá-los com os gritos mais populares – revela Park.

Os novos cantos poderão ser entoados já no próximo sábado quando os sul-coreanos enfrentam a Grécia. Depois a equipe do técnico Huh Jung-Moo joga contra a Argentina (17 de junho) e a Nigéria (22 de junho).

Jogadores ingleses frustram torcedores após fazerem safári

A seleção inglesa aproveitou a tarde de folga para fazer um safári próximo a Rustemburgo, o que deu a chance de moradores locais e turistas tentarem ver de perto seus ídolos. Do lado de fora do Parque Nacional Pilanesberg, o quarto maior da África do Sul, havia ingleses, alemães, suecos, chilenos, e, claro, sul-africanos entre os cerca de 50 torcedores à espera dos jogadores. Em vão.

Quando os jipes com os atletas finalmente chegaram, o máximo que a torcida conseguiu foi um aceno do atacante Peter Crouch. Todos entraram diretamente no ônibus, que ainda apagou as luzes na saída para dificultar a identificação dos jogadores.

– Acendam a luz! Estamos aqui passando frio para ver vocês – gritou um jovem torcedor inglês.

Na região de Rustemburgo, a temperatura pode chegar a quase 30 graus durante o dia e baixar para perto dos 5 graus quando o sol se põe. Durante o safári, os visitantes recebem mantas para se proteger do frio do fim de tarde. O passeio dura 2h30, mas a seleção inglesa passou ao menos uma hora a mais dentro do Pilanesberg.

A reserva foi criada em 1979 como forma de proteger grandes animais e preservar uma série de espécies ameaçadas. Pilanesberg ocupa uma área superior à do município de Curitiba e está localizado num vale de um vulcão extinto há 1,3 milhão de anos.

Uma das principais atrações do parque nacional é o chamado “Big Five”, o grupo dos animais mais difíceis de serem caçados: elefante, rinoceronte, leão, leopardo e búfalo africano. O parque fica a cerca de 30 km do Estádio Royal Bafokeng, onde a Inglaterra faz sua estreia na Copa do Mundo, sábado, contra os Estados Unidos.

Atletas



Robben: ‘Estou seguro de que viajarei’

Depois que exames constataram que sua lesão não é tão grave quanto se pensava, o meia holandês Robben se mostrou confiante quanto à sua ida à Copa do Mundo.

Sobre a declaração do treinador Bert van Marwijk de que irá esperar por ele, Robben se pronunciou:

– Estou muito feliz que o treinador me da tempo para me recuperar e não chame um substituto – disse Robben.

Sobre sua ida à África encontrar o resto da equipe holandesa, Robben disse:

– Farei todo o possível para estar a tempo, tenho muitas esperanças, mas tem que ver como podemos acelerar o processo. Estou seguro de que viajarei, mas não posso dizer se será em quatro dias ou em uma semana – disse Robben.

A seleção de Robben, a Holanda, está no grupo E, pelo qual enfrenta Dinamarca, Japão e Camarões.

Sexta tem mais “Conexão África”. Às 22h, como sempre!



Realização:
UHTV + Esporte Jovem

Conexão África: Tudo da seleção brasileira!

Placar

Brasil 5 X 1 Tanzânia

Notícias da Seleção

De ônibus novo, Seleção é festejada por brasileiros Após 11 dias de treinos em território sul-africano, a Seleção Brasileira ganhou seu novo ônibus, personalizado pela Fifa, e recebeu apoio de um grupo de torcedores brasileiros, neste domingo, antes da atividade da tarde na Randburg High School, em Johannesburgo.
O veículo leva a inscrição na janela: “Lotado! O Brasil inteiro está aqui dentro!”. Cada seleção ganhou um ônibus temático.
No primeiro dia com o novo meio de transporte, enfim, a Seleção recebeu apoio de torcedores brasileiros na entrada do treinamento. Um grupo de dez paulistas, que formam a “Torcida Canarinho”, levaram bateria até a porta da escola e fizeram festa na chegada do ônibus.
O acesso ao campo de treinamento é vetado para torcedores, o que não tirou o ânimo dos brasileiros. Com bandeiras, cornetas e todos uniformizados, eles festejaram os atletas, que fazem o último treino antes do amistoso contra a Tânzania, nesta segunda-feira.
Foi a primeira manifestação de brasileiros em Johannesburgo. O clima dos treinamentos tem sido tranquilo, apenas com poucos sul-africanos curiosos tentando ver a Seleção Brasileira à distância. Somente a imprensa tem acesso ao local.
Os dez amigos saíram de São Paulo e já têm ingressos comprados até as quartas de final. Eles estão hospedados em Pretória, próxima a Johannesburgo.

Brasileiros apoiam Seleção após infernizarem Argentina
Um grupo de dez brasileiros compareceu a Randburg High School na tarde deste domingo e fez festa para a Seleção Brasileira antes do treinamento em Johannesburgo. Antes de procurar o Brasil, no entanto, os torcedores foram atração da concentração da Argentina, em Pretória.
Os dez paulistas estão hospedados na cidade dos “hermanos”. Um deles é sobrinho de portugueses, que vivem nas proximidades de Johannesburgo. No último sábado, eles realizaram uma pelada em frente à concentração argentina e foram alvo da imprensa do país.
– Eles me chamaram de Ronaldo – comentou Daniel Leon, de 30 anos, que vestia uma camisa do Fenômeno durante a pelada e foi entrevistado pelos argentinos.
Os brasileiros contaram que TVs argentinas fizeram links ao vivo para Buenos Aires para mostram a festa. O acesso aos treinos e hotel da Argentina tem sido restrito até para a imprensa do país.
Os dez brasileiros formam a “Torcida Canarinho”, fundada por Leon. E organizaram a “Bateria Canarinho” para ver a Copa do Mundo. Eles já têm ingressos comprados até as quartas de final e aproveitaram as férias para viajar em grupo. Cada um gastou cerca de R$ 6 mil para ir à África do Sul.
Os torcedores estão com carros alugados e ficarão hospedados em Pretória durante todo o Mundial. Os argentinos que se cuidem!

Dunga e Kaká são ovacionados na chegada à Tanzânia
A delegação da Seleção Brasileira chegou às 18h30 deste domingo no Hotel Movempick, no Centro de Dar es Salaam, onde ficará concentrada para o amistoso desta segunda-feira, às 12h, contra a Tanzânia. No hotel, cerca de 200 torcedores aguardavam a Seleção, mas nenhum era brasileiro.
Kaká foi o mais solicitado para fotos e autógrafos na chegada ao local. Porém, o que causou grande surpresa foi a recepção ao técnico Dunga. Ele teve o seu nome gritado pelos torcedores. Fisionomia fechada, ele não alterou sua trajetória, ao contrário de Kaká, que distribuiu sorrisos e apertou a mão de vários torcedores.

Extras

Portugal recebe 1.600 fanáticos em treino
Magaliesburgo tem cerca de dez mil habitantes. É quase um vilarejo perto da gigantesca e próxima Johannesburgo. Porém, o clima de Copa do Mundo jamais esteve tão intenso como na tarde deste domingo, na pequena cidade da província de Gauteng.
O treino da seleção portuguesa na Hoërskool Bekker enlouqueceu a população dos arredores. Foram liberados 1.600 ingressos para o público e houve confusão na entrada da arquibancada. Outras centenas de pessoas ficaram do lado de fora, sem conseguir um disputadíssimo lugar.
Durante todo o trajeto entre o hotel e o campo de treinamento, o ônibus da delegação foi saudado por torcedores. Ao som de vuvuzelas e gritos histéricos, e com 25 minutos de atraso, os jogadores entraram no gramado, para delírio dos sul-africanos e portugueses, maioria entre os presentes. A colônia do país europeu na região é uma das maiores do continente.
Apesar de rivais no Grupo G, os portugueses demonstraram enorme simpatia à presença da imprensa brasileira.
– O melhor cenário é nos enfrentarmos classificados na última rodada e acontecer um empate. Somos irmãos! Nenhum país tem tantos talentos individuais como o Brasil – afirmou Carlos Marinho, um dos portugueses à espera de sua seleção na arquibancada da escola.

Robben se machuca, e Holanda goleia antes de rumar para a África
Com direito a homenagem para o veterano goleiro Edwin Van der Sar, antes de a bola rolar – o arqueiro de 39 anos tem 130 jogos pela seleção -, a Holanda se inspirou no lendário ‘Carrossel’ de 1974 e goleou a Hungria por 6 a 1, de virada, neste sábado, na Amsterdam Arena, no último amistoso antes da viagem para a África do Sul.
Mas a festa laranja terminou em preocupação. Aos 41 minutos do segundo tempo, Arjen Robben tentou uma jogada de efeito e machucou, sozinho, a perna esquerda. Mancando, o jogador foi substituído e levado imediatamente a um hospital para verificar a gravidade da lesão. E não viaja junto com os demais jogadores da seleção para a África do Sul.
Dzsudzsak abriu o placar para os húngaros, mas Van Persie, Sneijder, Van Bommel, Elia e Robben (dois) marcaram para a seleção comandada por Bert van Marwijk.
Este foi o quarto amistoso seguido vencido pelos holandeses. Antes, já haviam derrotado Estados Unidos, México e Gana. A Holanda está no Grupo E da Copa do Mundo com Dinamarca, Japão e Camarões. A equipe estreia no próximo dia 16, contra os dinamarqueses, em Joanesburgo.

Susto na Amsterdam Arena
Quando a bola rolou, os holandeses partiram para cima, embalados pela torcida. No entanto, os visitantes surpreenderam ao abrir o placar logo aos cinco minutos. Dzsudzsak recebeu passe na ponta direita, arrancou e finalizou com efeito na entrada da área, no ângulo de Stekelemburg.
O empate parecia questão de tempo, pois os holandeses não se abateram e continuaram em cima. Aos 20, Van der Wiel tentou avançar pela direita, mas foi desarmado. Kuyt recuperou e rolou para a entrada da área. Van Persie dominou e bateu rasteiro, no canto, sem chance para o goleiro.

Robben se machuca sozinho
Na volta do intervalo, o técnico Bert van Marwijk sacou Kuyt para a entrada de Robben. Os holandeses mantiveram o ritmo. Aos dez, Van Persie apareceu na entrada da área e abriu na canhota para Van Bronckhorst. O lateral cruzou rasteiro e Sneijder completou, decretando a virada (2 a 1).
Aos 17, novamente Van Bronckhorst desceu pela esquerda e cruzou. O goleiro húngaro titubeou na saída, e Robben, no segundo pau, só completou, marcando o terceiro dos holandeses. Aos 25, o experiente Van Bommel recebeu de Robben e soltou a bomba, de fora da área, ampliando.
Entregues, os húngaros apenas se defendiam e torciam para o tempo passar logo. Mas o time da casa não tirou o pé do acelerador. Aos 27, Elia, que acabara de entrar, se livrou de três marcadores e chutou cruzado, marcando um golaço. Seis minutos depois, caindo pelo lado direito, Robben cortou para dentro, trouxe para o pé bom – o canhoto -, e chutou colocado, anotando o sexto gol. No entanto, aos 41, o meia tentou dar uma passe de calcanhar e se machucou sozinho, sendo substituído em seguida. E reduzindo a comemoração dos holandeses nas arquibancadas.

Atletas

Loco Abreu é o maior artilheiro entre os 736 jogadores da Copa do Mundo
Se o Uruguai não está no rol de favoritos da Copa do Mundo, ao menos tem um motivo para festejar antes mesmo de a bola rolar: entre os 736 jogadores inscritos para o Mundial, o atacante Sebástian Loco Abreu é o que tem mais gols na carreira. Aos 33 anos, o jogador do Botafogo já balançou as redes 305 vezes, superando por três Thierry Henry, que deve começar a Copa na reserva da França.
Pelas contas do atacante uruguaio, a marca é ainda mais expressiva, já que ele considera o número de 309 gols – quatro deles, no entanto, foram em partidas não consideradas oficiais.
No dia 26, o Uruguai goleou Israel por 4 a 1, e Abreu marcou duas vezes. Com isso, chegou a 30 gols com a camisa da Celeste e ficou a apenas um de Scarone, maior artilheiro da história da seleção.
Além de Abreu e Henry, a lista dos que têm mais de 200 gola na carreira se completa com o argentino Martin Palermo (288), o marfinense Didier Drogba (244), o camaronês Samuel Eto’o (217), o espanhol David Villa (207) e o alemão Miroslav Klose (204). Drogba sofreu uma grave lesão no braço nesta sexta-feira e ainda é dúvida para a Costa do Marfim. A pesquisa foi feita pelo site uruguaio “Ovación”.

Fciamos aqui com mais um “Conexão África”, lembre-se, a copa está aí. Dia 11!

Realização: UHTV + Esporte Jovem

Conexão África: Entrevista com Felipe Melo!

Discurso afinado com o técnico Dunga, lembranças de sua infância difícil e uma vontade incomum de ser campeão do mundo. Assim podemos definir Felipe Melo, que chegou na madrugada desta segunda-feira ao Brasil e concedeu entrevista coletiva na sua cidade natal, Volta Redonda, no Sul-Fluminense.
Na conversa, Felipe Melo reconheceu a péssima temporada da Juventus, mas negou estar em má fase. E avisou que sempre teve o sonho de dar um título mundial para o Brasil e não o de apenas disputar uma Copa.
Confira os principais trechos da entrevista do volante da Seleção Brasileira:

TEMPORADA
“A temporada da Juventus não foi tão boa. Na verdade, para quem tinha a pretensão de título, se classificar apenas para uma qualificação na Liga Europa foi um lixo, uma temporada ridícula. Mas quando chega a hora de defender a Seleção Brasileira, tudo muda. Nada se compara. E meus números individuais na Juventus mostram que melhorei em relação ao ano anterior”

CRÍTICAS AO TIME DE DUNGA
“Eu não me lembro, mas a Seleção de 82 ganhou a Copa? A de 94 ganhou. Não temos de mostrar nada para ninguém. Os números dizem tudo. O que importa é o resultado. Fomos campeões da Copa América, da Copa das Confederações. Se o Dunga tivesse convocado o Ganso, o Neymar e o Ronaldinho, as críticas continuariam da mesma forma. O Gilberto Silva tem números fantásticos na Seleção e é criticado. Quando ganhamos um jogo da Argentina, foi a Argentina que jogou mal. Temos de parar com esta palhaçada de ficar criticando. Acho até bom isso. Na última Copa, foi um oba-oba danado e não ganhamos nada. Em 94 todo mundo criticou e ganhamos o título”

INÍCIO NA CARREIRA
“Foi muito difícil. Sofri muito. Com 10 anos de idade, pegava um ônibus chorando para ir treinar. Quando eu morava em São Gonçalo, tinha de acordar às 4h, pois andava 2km para pegar um ônibus. Eu era uma criança muito imperativa. Brigava, xingava a professora. Muita gente dizia que eu era aprendiz de marginal. Hoje, me abraçam e dizem que sempre souberam que eu chegaria à Seleção Brasileira”

COPA DO MUNDO
“Meu grande sonho, desde menino, era dar um título para o Brasil. Não quero apenas disputar uma Copa. Quero ser campeão. A responsabilidade em uma Copa é muito grande. Tenho medo de chegar numa Copa e voltar na primeira fase. Não quero ser conhecido desta forma. Tenham certeza que vou dar tudo de mim para voltar com um título. Se precisar, dou até carrinho de cabeça”

INTERESSE DO ARSENAL
“Já é um namoro antigo. Mas de concreto não tem nada. A única coisa que existe é o meu contrato com a Juventus, que termina daqui a quatro anos. Claro que sempre muda-se tudo quando não se consegue um objetivo. Mas estou contente em Turim, pelo carinho que tenho dos torcedores. Fui comprado muito caro, quero ganhar alguns títulos por lá”

GRANDES TÉCNICOS
“Tenho que agradecer muito ao Vanderlei (Luxemburgo). Quando eu cheguei ao Cruzeiro, eu era muito deslumbrado. Ele me ensinou muita coisa. Por isso, quando eu fui convocado, liguei para ele agradecendo por tudo”

VOLTA AO BRASIL
“O Adriano e o Robinho foram campeões na Europa. Eu ainda quero ganhar um título por lá, ser ídolo. Depois sim, pretendo voltar. O Flamengo, sem dúvida, estaria entre os primeiros clubes que gostaria de jogar. Além do Cruzeiro e do Grêmio, clubes ótimos que joguei”

KAKÁ
“Vi uma entrevista dele, em que dizia que estaria 100% na Copa. Confio nele. De repente, ele não jogou no domingo pois já estava se poupando. A gente está se preparando há muito tempo” .

Até segunda, com mais uma edição do “Conexão África”.

Realização: UHTV + Esporte Jovem