Arquivo da categoria: Especial da Tv

Hoje ás 9 da Noite

…Tem o especial de 81 Anos de Silvio Santos,momentos marcantes da sua carreira você acompanha ás 9 da noite no UHTV.

ESPECIAL: Hoje encerramos a 3ª temporada desse grande sucesso!

A média-ano do SBT, Globo e Record desde 1990

1990 – 25,31991 – 26,81992 – 24,1
1993 – 25,0
1994 – 28,6
1995 – 26,11996 – 26,1
1997 – 25,81998 – 26,0
1999 – 25,1
2000 – 23,52001 – 20,0
2002 – 21,4
2003 – 22,8
2004 – 20,42005 – 19,82006 – 21,62007 – 20,1
2008 – 19,5
2009 – 16.8
Média Total: 23,2 – Líder Isolada
 
A Globo teve uma queda muito grande em 2009, de quase 3 pontos. A Sua melhor média-anual foi em 1994.
 
 
 
1990 – 9,1
1991 – 9,2
1992 – 9,3
1993 – 9,1
1994 – 8,8
1995 – 9,1
1996 – 8,9
1997 – 8,6
1998 – 8,41999 – 9,0
 
2000 – 8,1
2001 – 9,8
2002 – 8,7
2003 – 8,6
2004 – 8,0
2005 – 7,8
2006 – 7,4
2007 – 7,0
2008 – 5,9
2009- 6.2
 
Média Total: 8,3 – Vice-Líder Isolada
 
Como todos viram o SBT em 2001 marcou sua melhor média-anual, nesse ano houve a estréia da Casa dos Artistas 1 que ajudou muito nessa média.
 
 
 
1990 – 2,41991 – 2,0
1992 – 1,8
1993 – 1,4
1994 – 1,7
1995- 1,5
1996 – 1,9
1997 – 1,8
1998 – 2,1
1999 – 2,4
 
2000 – 3,1
2001 – 3,5
2002 – 3,82003 –  4,7
2004 – 5,32005 – 5,7
2006 – 6,0
2007 – 6,82008 – 7,6
2009- 7.1
 
Média Total: 3,6 – Terceira Isolada
 
A Record cresceu muito desde 2004, só que em 2009 houve uma queda. Sua maior média-anual foi em 2008 e sua menor foi em 1993.

Em breve voltaremos com a 4ª temporada do ESPECIAL. Fique ligado e não perca as novidades do UHTV! pra você!

ESPECIAL: Os 10 programas que revolucionaram a TV brasileira!

10º Lugar:
• Vídeo Show. (TV GLOBO – 1983/2011)
programa que mostra os bastidores da televisão e mostra a vida dos famosos. Com o programa o telespectador Brasileiro começou a ver que não existem apenas os atores por trás de uma grande produção ,e sim variados tipos de especialistas contidos.

9º Lugar:
• Programa Márcia (SBT – 1997/1998)
o programa que mostrava brigas e discussões no horário da tarde, esse foi o primeiro programa com barracos na tv brasileira, logo após esse programa vários de diversas emissoras começaram a apostar no “bate boca” na tv aberta.

8º Lugar:
• Noite Afora (REDE TV – 2001/2004)
primeiro programa que tinha como tema “Sexo” em plena tv aberta brasileira, o programa entrava no ar às 00:50 de Terça aos Sábados, apresentado pela Monique Evans.

7º Lugar:
• Xou da Xuxa (TV GLOBO – 1986/1992)
a partir do Show da Xuxa, começaram a disputas entre as “loirinhas da tv”, o programa rendia altos índices de audiência para a Tv Globo, consagrando então Xuxa como a rainha dos baixinhos.

6º Lugar:
• Viva o Gordo (TV GLOBO – 1981/1987)
o programa humorístico deu um tremendo “empurrão” na carreira de Jô Soares como apresentador, depois de quase 6 anos no comando no programa na Tv Globo, Jô Soares assinou com o SBT e rebatizou o programa com o nome de “Veja o Gordo!”

5º Lugar:
• Cidade Alerta (TV RECORD – 1995/2005)
o programa foi um programa que marcou quando o assunto era Jornalismo Policial, o programa sempre teve Jornalistas “sensacionalistas”. o programa deu origem a diversos de várias emissoras.

4º Lugar:
• Pânico na TV (REDE TV! – 2003/2011)
o programa humorístico se tornou o programa de humor preferido nacionalmente, o programa se tornou popular e encheu o publico de bordões e polêmicas.

3º Lugar:
• Casa dos Artistas (SBT – 2001/2004)
o programa era gravado com famosos que ficavam monitorados 24h, a Rede Record comprou direitos de um reality com praticamente o mesmo formato, chamado de “A Fazenda”.

2º Lugar:
• Big Brother Brasil (TV GLOBO – 2002/2011)
o reality é o mais visto do brasil com preferência de 64% dos telespectadores de tv, o programa é um dos que mais faturam no ano.

1º Lugar:
• Programa Silvio Santos (TV GLOBO/TV TUPI/SBT – 1969/2011)
o programa é um clássico na tv Brasileira, o que séria dos “novos” apresentadores dos domingos, sem Silvio Santos ?. O Programa tem uma das Maiores Audiências da História da TV.
Semana que vem tem mais!

ESPECIAL: Fotos do seriado "Cory na Casa Branca"!

Hoje veremos imagenda a série “Cory na Casa Branca”, que nos fez rir enquanto foi exibida no SBT. As atrapalhadas de Cory podem ser vistas agora, só que em fotos. Confira:
Semana que vem tem mais uma coluna “Especial” pra você. Sem pauta definida, mas com conteúdo de muito bom gosto.

ESPECIAL: "Cordel Encantado" beira a perfeição e ofusca demais novelas!

Quando foi anunciada como a substituta da devagar-devagarinho “Araguaia”, “Cordel Encantado” já chamava a atenção por trazer em sua sinopse uma mistura de dois universos aparentemente distintos, a realeza europeia e o cangaço nordestino.
Das promissoras Thelma Guedes e Duca Rachid (“O Profeta” e “Cama de Gato”), a nova novela das seis da Globo não precisou de muito tempo pra cativar o público, fisgar os desiludidos da faixa e convencer a imprensa. Já no seu terceiro capítulo era possível constatar a qualidade e perfeição da obra.
Poderia soar como uma tentativa de reinventar um “Que Rei Sou Eu?” do século XXI, ou se perder apenas na ousadia da inovação, mas não, “Cordel” tem essência, e principalmente munição de sobra para encantar e fazer rir.
Um conto de fadas arretado, uma fábula europeia, uma aventura em pleno sertão nordestino, um romance modernista com traços clássicos, “Cordel” é tudo isso e mais um pouco. É disparada a grande surpresa da faixa das seis na década.
Um elenco digno de horário das nove, uma direção singular, uma cenografia impecável, uma produção de arte primorosa, uma trilha sonora admirável, “Cordel Encantado” beira a perfeição, e não é exagero.
No quesito interpretação Marcos Caruso, Zezé Polessa, Osmar Prado, Nathalia Dill, Bruno Gagliasso, Domingos Montagner, Matheus Nachtergaele, Heloísa Perissé, Claudia Ohana, Ana Cecília Costa, Carmo Dalla Vecchia e Débora Bloch vêm chamando a atenção, esta última principalmente, pois basta entrar em cena para roubá-la.
Com mais de um mês no ar, “Cordel” já é de longe a melhor novela da atualidade, ofuscando e esmagando todas as outras, sem exceção. A trama de Açucena e Jesuíno trouxe algo novo e ao mesmo tempo óbvio, servindo de referência daqui pra frente. Que os novelistas leiam a cartilha e tentem decifrá-la, assim como fez Thelma e Duca.
O público não quer pirotecnia, não quer avião caindo, dinossauros e robôs, tampouco que matem um presidente fictício, que adolescentes rebeldes esfreguem na telinha uma sensualidade promíscua ou que retratem parte de nossa história de forma vazia, o público quer, tenham certeza, uma boa história, e “Cordel Encantado” é uma boa história, sem sombra de dúvidas.
Alguns pregam um amor de revolução orientados por seus insensatos corações, mordem e assopram tentando impedir que o vida corra como a sorte de um jogo, aderem aos rebeldes como forma de protesto, mas de nada adianta, o povo quer sonhar e se encantar com um bom cordel.

ESPECIAL: Entrevista concedida por Rachel Sheherazade, antes de assumir o "SBT Brasil"!"

Durante as últimas semanas, as equipes de jornalismo do SBT não falaram em outra coisa. A “novata” Rachel Sheherezade, recém-contratada por Silvio Santos, assumiriam o “SBT Brasil” e tomaria o lugar de Carlos Nascimento e Karyn Bravo. Unida a Joseval Peixoto, a jovem paraibana assume o telejornal a partir desta segunda-feira (29) e promete fazer o que a fez conquistar o dono do Baú: emitir opiniões fortes. Foi ao ver um vídeo da jornalista criticando o Carnaval que Silvio Santos e sua filha, Daniela Beiruty, resolveram transformá-la numa âncora que falasse para todo o Brasil. Recém-chegada a São Paulo, Rachel tem trabalhado duro nas últimas semanas, gravando pilotos e testando temas para seus editoriais. Em meio aos preparativos para a estreia, a jornalista conversou por email com a coluna.
SBT Brasil vai ao ar, de segunda à sábado às 19h30!

IG: Ficou surpresa de dar um salto tao grande do jornalismo local para o nacional sendo tão jovem?

RACHEL SHEHERAZADE: Não sou tão nova assim. Tenho 11 anos de TV.
IG: Se considera um fenomeno da internet? Silvio Santos só resolveu contratá-la depois de vê-la no YouTube.

RACHEL SHEHERAZADE: Não.
IG: Você teve de gravar vários pilotos para o telejornal. Ficou ansiosa com a demora para estrear?

RACHEL SHEHERAZADE: Os pilotos são normais. Todos os programas quando vão estrear passam por esse processo.
IG: Falta opinião no telejornalismo brasileiro?

RACHEL SHEHERAZADE: Falta mais opinião, sim.
IG: Comenta-se que sua chegada causou ciumeira nos bastidores do SBT. Como reagiu a isso – às noticias e ao ciúme?

RACHEL SHEHERAZADE: Às vezes o que se comenta não é o que acontece.
IG: Quais suas referências no jornalismo brasileiro?

RACHEL SHEHERAZADE: Masculino é o Carlos Nascimento e feminino é a Ana Paula Padrão.
IG: Acha que pode sofrer algum patrulhamento por ter opiniões fortes?

RACHEL SHEHERAZADE: Não. Vivemos numa democracia e o tempo da censura já acabou. Os telespectadores podem esperar a minha opinião. O comentário será meu parecer.
IG: Terá liberdade para falar do que quiser ou precisará submeter seus temas?

RACHEL SHEHERAZADE: Terei a mesma liberdade que tinha na afiliada. Inclusive, esse foi um pedido do SBT, que eu continuasse falando o que eu quisesse.
IG: Como esta sendo a adaptação em uma nova cidade? Saudades de João Pessoa?

RACHEL SHEHERAZADE: A adaptação está sendo muito boa. Adorei o clima de São Paulo e a acolhida dos paulistanos. Sobre João Pessoa, sempre sentirei saudade. João Pessoa é a minha vida. É um sonho. O que vemos são muitos jornalistas do eixo Rio-São Paulo em outras partes do País ancorando telejornais. Nunca fiquei sabendo de um jornalista da Paraíba comandando um jornal nacional em horário nobre.

ESPECIAL: Atores que já foram mulher na Tv e nos filmes!

https://i1.wp.com/www.abril.com.br/imagem/kayky-mentira-01g.jpg
Kayky Brito como Bernardete
Aproveitando que o ator Otaviano Costa será uma mulher na novela “Morde & Assopra” resolvemos buscar na memoria e relembrar outros atores que tiveram que se travestir do sexo feminino para atuar.
Elas são inesquecíveis.

Miguel Magno. O ator brilhou como a fofoqueira Dona Roma, a proprietária da pensão do Beco da Baiúca, de “A Lua Me Disse” (2005).

Kayky Brito. Ator de talento, Kayky divertiu o público como Bernardete, o garoto criado pela mãe como menina, em “Chocolate com Pimenta” (2003).

Floriano Peixoto. A carreira de Floriano Peixoto, cheia de altos e baixos, teve o seu ápice com a “fada madrinha” Sarita, de “Explode Coração” (1995). Floriano ganhou o carinho do público ao compor um personagem de traços femininos e longe da caricatura.

Ney Latorraca. Viveu a  inesquecível Anabela, de “Um Sonho a Mais” (1985). O personagem do ator, Antônio, precisou se disfarçar de mulher depois de se envolver em uma trama de assassinatos e mentiras.

Robin Williams.  Fenômeno nos cinemas, “Uma Babá Quase Perfeita” (1993, foto) trazia Robin Williams se vestindo de babá inglesa para ficar mais próximo dos filhos.

Jack Lemmon e Tony Curtis. Perseguidos por gângsters, dois músicos malandros precisam se travestir para continuar vivos, em “Quanto Mais Quente Melhor” (1959). De quebra, ainda seduzem Marilyn Monroe.

ESPECIAL: Os piores looks da década!

 
10° Lugar

9° Lugar

8° Lugar
7° Lugar

6° Lugar

5° Lugar

4° Lugar

3° Lugar

2° Lugar

1° Lugar

CURTAM AGORA QUEM ENTENDE!

ESPECIAL: Descubra de quem é a voz da chamada a cobrar!


“Chamada a cobrar, para aceitá-la continue na linha após a identificação”
“Chamada a cobrar: diga seu nome e a cidade de onde está falando”

Todo mundo já ouviu essas duas clássicas frases ao receber ou fazer uma ligação a cobrar! Alguém já procurou saber de quem é a voz que ouvimos nessa mensagem?
A locutora responsável por essas gravações é a Patrícia Godoy. Paulista, formada em piano clássico, educação física e laboratórios médicos (tudo a ver,kkk), a moça já trabalhou também como atriz, em novelas e comerciais.
Patrícia também já emprestou sua voz à personagens de filmes e locuções de propagandas, e até apresentou jornal do SBT, no passado.

ESPECIAL: Entrevista concedida por Gustavo Reiz!



 

Gustavo Reiz é ator, escritor, dramaturgo e autor-roteirista. Nascido em Niterói, em 18 de novembro de 1981, sempre destacou-se no meio teatral: tinha 12 anos quando seu primeiro texto foi encenado. Desde então, não parou de escrever e produzir. É autor de Bate coração, Confidências, confusões e… garotas! e Sonhos de umas férias de verão”, também publicados pela Rocco. Trabalha freqüentemente para TV e cinema. Atualmente é autor contratado da Rede Record.
Confira a entrevista exclusiva com Gustavo Reiz, que comemora o sucesso da minissérie “Sansão e Dalila”.

O Planeta TV! – Sua estreia em dramaturgia foi em “Os Ricos Também Choram” (2004), produzida pelo o SBT. Como foi a experiência na emissora de Silvio Santos?

Gustavo Reiz – Foi uma experiência ótima. Eu tinha 23 anos e estava em turnê com uma peça de minha autoria em São Paulo, quando fui convidado para fazer um workshop de roteiro com o Doc Comparato, no SBT. Já estudava os livros do Doc, trabalhar com ele foi uma honra. Desse curso, passei a trabalhar na emissora e fui convidado para colaborar com o Marcos Lazarini, em “Os Ricos também Choram”, ao lado de Aimar Labaki e Conchi. Foi um período de muito aprendizado, de muita dedicação ao trabalho. Todos foram muito generosos e fiz muitos amigos por lá.

O Planeta TV! – Em seguida, colaborou com Ana Maria Moretzsohn em “Luz do Sol” (2007), seu primeiro trabalho na Record. Como foi fazer esse trabalho?

Gustavo Reiz – Foi incrível. Primeiro porque me senti honrado em ingressar na Record num período em que o departamento de teledramaturgia estava a todo vapor, fazendo novos investimentos e movimentando o mercado de forma jamais vista. Fiquei orgulhoso em fazer parte dessa história. E trabalhar com a Ana foi uma grande realização profissional e pessoal. Já era admirador de seus trabalhos, como “Tieta”, “Pedra sobre pedra”, “Esplendor” e “Perdidos de Amor”. Em “Luz do Sol”, tive a oportunidade de fazer escaletas com ela, desenvolver cenas, resolver questões de produção, desenvolver sinopses etc. Foi como participar de uma universidade de teledramaturgia, com a autora mais generosa que já conheci.

O Planeta TV! – Como surgiu a ideia de produzir “Sansão e Dalila”?

Gustavo Reiz – Assisti “A História de Ester”, minissérie da Vivian de Oliveira, dirigida pelo João Camargo, com grande interesse. Fiquei bastante admirado com a bela produção e aceitei de imediato quando recebi o convite do diretor de teledramaturgia da emissora, Hiran Silveira, para desenvolver a sinopse de um projeto no mesmo gênero. Fiquei lisonjeado pela confiança em meu trabalho e muito instigado para adaptar uma história mundialmente conhecida, como a de Sansão e Dalila. Principalmente contando com a direção geral do João Camargo, que logo se tornou um grande parceiro.

O Planeta TV! – Qual a maior dificuldade de adaptar um texto bíblico para a teledramaturgia? Teve total liberdade para criar novos personagens?

Gustavo Reiz – Tive total liberdade para criar novos personagens, tanto que 30 foram criados, todos com suas histórias e conflitos. Mas tive uma grande preocupação em ser fiel ao original, para não frustrar o telespectador que já conhecia aquela história; a trajetória de Sansão é descrita exatamente como está na Bíblia. Criei as paralelas – como a trajetória de Dalila – para dar um ritmo dinâmico à minissérie e acentuar elementos como romance, drama, suspense e humor. Sansão é um personagem muito solitário, que deixa a sua tribo e segue seu caminho por vários lugares diferentes. Uma dificuldade foi lidar com essas distâncias e respeitar o tempo das viagens, de modo que as tramas paralelas pudessem se desenvolver e as andanças de Sansão não se tornassem momentos repetitivos e monótonos..

O Planeta TV! – Você ficou satisfeito com a escolha dos atores protagonistas da minissérie Sansão e Dalila?

Gustavo Reiz – Participei da escolha e fiquei muito satisfeito com o trabalho dos nossos atores. Todos se dedicaram muito aos personagens, se entregaram de forma muito verdadeira. Sobre os nossos protagonistas, só tenho a agradecer aos talentosos Fernando Pavão e Mel Lisboa por darem vida, de maneira tão intensa, aos personagens que convivi durante todo o ano que passou. Quando começamos a cogitar seus nomes, eu já escrevia pensando neles. E o resultado superou minhas expectativas – que não eram poucas! – pois me surpreendo e me emociono a cada capítulo que vai ao ar.

O Planeta TV! – Uma das grandes cenas de “Sansão e Dalila” foi a luta entre o protagonista e o leão. Naturalmente foi uma cena muito difícil de fazer. Você gostou do resultado? Muitos críticos falaram mal. Como você reage às críticas maldosas?

Gustavo Reiz – Desde o início, sabíamos que os grandes feitos de Sansão não seriam simples para produzir. E nem por isso a emissora recuou, pelo contrário, procurou a melhor forma de executar o que estava no papel; passagens clássicas que serviam de referências para muitas gerações. Como não mostrar a luta com o leão? Como não mostrar Sansão carregando as portas de Gaza? A luta com os mil homens? São passagens muito emblemáticas e foi nisso que nos concentramos: na melhor maneira de contar essa história. Acredito que cumprimos, dignamente, essa missão; a história foi bem contada. As críticas são importantes para um aprimoramento, que deve ser buscado sempre. As maldosas e/ou tendenciosas não devem ser levadas a sério. Além de serem extremamente desrespeitosas com inúmeros profissionais envolvidos nas produções, elas também desrespeitam e subestimam a inteligência do telespectador, que percebe claramente os interesses por trás de algumas linhas.

O Planeta TV! – Na sua opinião qual o maior acerto da minissérie Sansão e Dalila? E o maior erro?

Gustavo Reiz – O maior acerto foi reunir tantos profissionais talentosos para apresentar ao público um trabalho com essa qualidade, numa época em que geralmente a TV está repleta de reprises. Foi uma atitude ousada da emissora, mas o fato é que isso movimentou os outros canais e o telespectador foi beneficiado. E é claro que houve erros, como em todo trabalho. E eles serão avaliados, discutidos, em busca do aprimoramento. Faz parte do processo.

 O Planeta TV! – “Sansão e Dalila” têm uma média de 12 pontos de audiência na Grande São Paulo. Como você avalia esse desempenho? Superou as expectativas?

Gustavo Reiz – Superou as expectativas e estamos muito orgulhosos desse trabalho. Atingimos a liderança nas principais regiões do país e não há melhor termômetro do que a resposta do público. Mas é claro que a expectativa continua até a exibição do último capítulo, quando Sansão derrubará o templo dos filisteus e dará por encerrada a nossa jornada.