Arquivo da categoria: Papo Saúde

Papo Saúde – Fim da Temporada: Mitos e verdades da enxaqueca!

No Mundo todo, uma a cada 4 pessoas sofre de enxaqueca. E é comum que as vítimas tenham que conviver com vários mitos sobre a origem das crises. Descubra verdades e mentiras sobre esse mal e não deixe que ainda aumente e os piore suas crises.

Mito
Toda dor de cabeça é enxaqueca – A Enxaqueca se caracteriza por dor forte e latejante em um ou nos dois lados da cabeça e pode provocar ânsia de vômito e tonturas. Mas existem mais de 100 tipos de dor de cabeça.
Aumentar as horas de sono previne o mal da enxaqueca. Enxaqueca tem cura. A enxaqueca está associada a problemas no estomago e fígado, problemas de vista causam as crises de enxaqueca.

Verdade
Vitimas podem ver vultos, alterações na visão. O extresse é um perigo, se somado com ansiedade contribuem consideravelmente para uma crise de enxaqueca.
Na Menopausa muitas mulheres melhoram, mas, pode voltar com a reposição hormonal. Enxaqueca antes, depois da menstruação é comum.

É… Chegamos ao fim da 1ª temporada do “Papo Saúde”. Está tudo acertado, e em uma longa reunião da alta cúpula do UHTV!, optamos por exibir a 2ª temporada do “Papo Saúde” apenas no início de 2012. Até lá, suas manhãs de segunda ganharão novas emoções. Não perca!

Anúncios

Papo Saúde: Benefícios da meditação!

Todos ouvimos falar já há muito tempo sobre meditação. Essa prática foi divulgada no ocidente a partir dos anos sessenta, junto com o movimento hippie. Como tudo que é novo e desconhecido, e como a proposta do movimento hippie era a de rompimento com o que já não funcionava mais e a introdução de uma cultura mais livre e feminina como a oriental, a meditação foi, por muito tempo, vista como uma atividade “de loucos”.
Hoje a ciência comprova: a meditação somente nos traz benefícios, pois ela nos proporciona a possibilidade de encontro com aquilo que há de mais profundo dentro de nós. Ela equilibra as emoções, nos põe em contato com nosso subconsciente, provoca o relaxamento através do “esvaziamento” de nosso campo mental, sua prática constante desenvolve a concentração e o autocontrole, equilibra a ansiedade, além de nos direcionar por um caminho espiritual mais consistente e realizador.
A meditação é, inegavelmente, uma colaboradora no processo de fundamentação de nosso desenvolvimento mental e espiritual e nosso sentido de vida. Não existe desenvolvimento do espírito sem a prática da meditação.
Diz Tarthang Tulku (um Lama Tibetano): “Alcançar uma perspectiva mais ampla é como abrir uma janela num quarto abafado; toda a atmosfera se renova e a brisa fresca traz alternativas para nossas maneiras habituais de reagir. Por meio da prática da autoobservação na meditação e na vida diária, mesmo as nossas questões mais profundas podem ser respondidas. Podemos descobrir o que somos e o que estamos fazendo nesta terra. Por fim, poderemos entrar em contato com um corpo de conhecimento tão vasto que toca todas as coisas”. De verdade, a prática da meditação promove a possibilidade de tudo isso, pois ela abre canais que não imaginamos possuir. Sem nos percebermos de como acontece, enxergamos a vida sob novas perspectivas, adquirimos novas maneiras de solucionar problemas, o canal de intuição e de comunicação com energias sutis é lentamente aberto. Quando nos utilizamos de mantras, aliados à meditação e respiração, “o milagre” é ainda maior. Os mantras, ou palavras de poder, têm uma função energética curativa e transformadora. O uso apropriado de certos mantras dissolve imediatamente energias negativas ao nosso redor, transformando nossa energia mental e espiritual e a energia do ambiente em que vivemos. “O mantra é como uma pedra encantada que desperta a energia sutil da mente iluminada”, diz Tarthang Tulku.
Quando praticamos a meditação diariamente, milagres acontecem em nossas vidas, milagres que para muitos de nós são inexplicáveis, mas que com o conhecimento entendemos o porquê. Aprenda a meditar e pratique a meditação. Compreenda a importância dessa prática e aprenda algumas técnicas eficientes que tenham a ver com seu temperamento, para que você tenha a oportunidade de avalizar tudo isso.
Dica: Respire fundo
Sempre que sentir que a intolerância e impaciência estão tomando conta de seu organismo, respire fundo e procure dentro de você o real motivo desses sentimentos. Olhe atentamente para a pessoa que provocou essa reação em você e procure percebe la como uma pessoa como você, carregada de conflitos e sentimentos negativos, inseguranças e medos.
Sempre que olhamos para os outros como pessoas idênticas a nós, com problemas como nós, algo de mágico e transformador acontece.
Semana que vem temos a última edição do “Papo Saúde”. Em agosto voltamos com novo logo e novos assuntos, você não pode perder!

Papo Saúde: Câncer de mama no homem!

Para cada 100 casos de câncer de mama em mulheres, existe um em homem. Embora seja bem mais raro entre o sexo masculino, a doença é um risco para pacientes menos preocupados com a qualidade de vida e histórico familiar. O maior motivo de detecção da doença em estágio avançado é o preconceito e a falta de conscientização sobre a importância da realização dos exames de rotina. A demora no diagnóstico também dificulta o tratamento do câncer de mama em homens. A princípio, o que parece um caroçinho pequeno pode ser interpretado por médicos como um caso de ginecomastia, ouseja, crescimento benigno das mamas. O principal sintoma do câncer de mama no homem é o aparecimento de nódulo indolor na região da auréola, (bico do peito), onde o tecido mamário se concentra, podendo provocar coceira e irritação.
Geralmente o tumor é percebido pelo próprio paciente ou sua parceira. Junto com o aparecimento do nódulo, é comum haver queixas de descarga mamilar e sinais de disseminação local como retração do mamilo e ulcerações.
A incidência do câncer de mama é maior em homens acima dos 35 anos de idade e o risco aumenta com o avanço da idade. O surgimento da doença está relacionado a fatores de risco recorrentes nas mulheres como: histórico familiar correspondente aos pais, irmã ou filha, surgimento de alguma tumoração pré-maligna no passado, excesso de peso e dieta rica em gorduras.
Como em ambos os sexos, a obesidade está ligada ao estrogênio, já que as células gordurosas produzem este hormônio. Por isso, é bom controlar o peso. O consumo reduzido de calorias pode aumentar as enzimas antioxidantes, prevenir a formação de compostos pré-cancerígenos e melhorar a capacidade de reparação das células sadias. É bom lembrar que o diagnóstico de câncer de mama no homem não pode ser excluído por qualquer achado isolado na história do paciente. As formas mais eficazes para detecção precoce do câncer de mama são o auto-exame mensal das mamas, o exame
clínico (a partir dos 40 anos) e a mamografia (em caso de suspeita).

Papo Saúde: Inimigos da saúde feminina!

E lá vai ela, a super-heroína! Mesmo não querendo topar esse ingrato papel de época – do século XXI – a mulher fez e acontece. Tanto que, soterrada nas tarefas de mãe perfeita, profissional impecável, amante bem-resolvida e esposa companheira, chega uma hora em que o corpo, pobre corpo, não resiste. O organismo feminino tem suas peculiaridades e precisa muito de cuidados especiais com os problemas que, com certa freqüência, se abatem sobre ele. Mas a tática e o segredo para estar com a saúde sempre em ordem não é novidade: prevenção, atenção e respeito aos próprios limites. O que diferencia a saúde da mulher e a do homem são os hormônios. No caso feminino, o estrógeno, que tem suas vantagens e desvantagens. A depressão, por exemplo, é mais comum entre elas. A mulher também sente mais dor do que o homem. Mas, em compensação, antes da menopausa, tem menos problemas de gota, também por causa do estrógeno, que a protege. Já os homens, há menos casos de osteoporose. Doenças reumatológicas, como a fibromialgia, a steoporose, artrite e o lúpus são mesmo as que acometem as mulheres com mais freqüência do que os homens. Também por razões hormonais. O que é positivo em nisso tudo, é que todas esses problemas, que talvez antes tivessem tratamentos frustrados, contam com novas terapias que fazem com essa mulher tenha uma qualidade de vida muito melhor. Na artrite, houve revoluções recentes com novas drogas biológicas, que previnem a destruição das juntas. No lúpus, novos remédios protegem os rins. E, na osteoporose, tratamentos modernos reconstituem ossos. Apesar dos problemas, a sobrevida é incomparavelmente melhor hoje em dia.
O risco de infarto, entretanto, antes uma característica masculina, vem acometendo cada vez mais também as mulheres.
Um levantamento do Ministério da Saúde mostra que, em 1990, a proporção de mortalidade feminina por infarto era de 25 por 100 mil habitantes. Em 1997, o índice subiu para 42 por 100 mil, e continua em ascendência. E isso não se deve exclusivamente aos hormônios. Provavelmente, eles têm sim uma participação nisso, já que deixam a parede muscular cardíaca mais fina, o que a faz necrosar com maior facilidade.
Mas esse aumento do número de mulheres em risco cardíaco se deve, sobretudo à mudança do estilo de vida. Elas estão trabalhando mais, mais preocupadas, mais estressadas, se alimentando pior, fumando mais. E as pesquisas têm mostrado que, entre as mulheres, o infarto tem sido mais fatal do que entre os homens. Mas é o câncer de mama, doença que lidera o índice de mortalidade no Brasil, o maior problema de saúde feminina. A cada ano morrem no Brasil, com esse problema, dez mil mulheres, com faixa etária predominante acima dos 35 anos. Uma das maiores causas da morte por câncer de mama é a sua detecção tardia. Sessenta por cento dos casos são identificados em estágios avançados. E não se pode falar em câncer de mama sem tocar na chave para a solução: o auto-exame. Deve ser realizada pelo menos uma mamografia a cada dois anos, a partir dos 40 anos, e, depois dos 50, uma a cada ano, além do auto-exame todo mês, logo após o período menstrual. É preciso também adquirir o hábito de se auto-examinar durante o banho, não dar espaço para o crescimento de algum nódulo. Fique atenta a sinais, manchas, secreções, sangramento e retração dos mamilos. Percebendo qualquer um deles, procure imediatamente o médico para um diagnóstico correto e mantenha a calma, lembrando que nem sempre os sintomas indicam o pior problema. Qualquer sinal, corra para o médico
Uma prevenção primária seria uma vacina. Doenças como fibromialgia e artrite, por exemplo, não são se detectam sem que haja uma queixa. Então, o importante é não negligenciar: procurar um médico a qualquer sinal, qualquer incômodo porque, hoje em dia, é possível detectar a doença no estágio mais primário e resolvê-la facilmente. Já com relação à osteoporose, recomenda-se que, depois dos 40 anos, planeje-se uma densiometria de seis em seis meses. É claro, que além de tudo isso, é absolutamente fundamental manter uma vida saudável. Impor-se diante do stress diário em nome da própria saúde, buscando uma alimentação equilibrada e se exercitando fisicamente com segurança são os maiores segredos para estar em dia com a saúde. E, cá entre nós, carinho e cuidado é mesmo coisa de mulher! Mudanças no estilo de vida afetam a mulher!

Papo Saúde: Sono e alimentação!

Bebidas estimulantes, como chocolate, café, chá preto ou mate, guaraná, refrigerantes à base de coca, devem ser evitados próximo ao horário de dormir, sendo ideal não ingerir estes alimentos e bebidas pelo menos quatro horas antes do sono. Estes alimentos são fonte de substâncias como a xantina e cafeína, que estimulam o sistema nervoso central.
Outro cuidado importante é diminuir a ingestão de alimentos gordurosos e/ou não ingerir grande quantidade de alimentos, pois assim você facilitará a digestão, favorecerá o sono e evitará que as calorias desses alimentos sejam armazenadas na forma de gordura, uma vez que à noite o metabolismo é mais lento. Uma boa dica é fazer refeições leves e em pequenas quantidades.
Um copo de leite quente pode ser de grande ajuda, uma vez que este alimento é rico em triptofano, que é precursor da serotonina, substância envolvida no processo do sono.

Papo Saúde: Os cuidados com o sal!

O maior problema do sal está no sódio, presente também em muitos produtos industrializados. Saiba as conseqüências do consumo exagerado de sal e alguns truques para evitá-lo.
Há muito tempo ouvimos os médicos dizerem que reduzir a ingestão de sal previne doenças do coração, principalmente a pressão alta (hipertensão). Na maioria dos casos de hipertensão, somente a redução do sal na comida não é suficiente, mas que ajuda, ajuda.
Qual o problema do sal?
O sal de mesa é também conhecido como cloreto de sódio e o problema está no sódio e não no cloreto. Sabe-se que o sal de mesa tem 40% de sódio, mas ele está presente também em vários produtos industrializados que consumimos diariamente, como pães, queijos, cereais, bolachas, enlatados, etc.
Por que o sal faz mal para quem tem pressão alta?
A elevada ingestão de cloreto de sódio (sal de cozinha) faz o organismo reter mais líquidos e aumentar de volume, podendo levar ao aumento da pressão sangüínea e causar a hipertensão, responsável por infarto e acidente vascular cerebral. O consumo excessivo de sal pode também afetar os rins.

Papo Saúde: Efeitos da gordura trans!

A gordura trans começou a ser usada em larga escala nos anos 80, para dar mais gosto, melhorar a consistência e até aumentar o prazo de validade de alguns alimentos. Ela é obtida depois que os óleos vegetais são submetidos a um procedimento químico chamado hidrogenação. No processo de hidrogenação, é adicionado hidrogênio em óleos vegetais e este se solidifica. O resultado é uma gordura mais grossa, que foi batizada com o prefixo latino “trans” porque, nesse processo, há um movimento bastante radical no interior da estrutura molecular da gordura. As principais fontes de gordura trans são as margarinas, sobretudo a vendida na forma de tablete, as massas prontas para o consumo e os lanches fritos. A margarina em tablete é normalmente usada em recheios de bolachas, em salgadinhos, tortas e bolos (frituras também podem ter trans, dependendo do modo de preparo). Quanto mais dura é a margarina, maior a concentração de gordura trans.

A gordura trans pode ser mais prejudicial do que a saturada já que altera o metabolismo lipídico, elevando os níveis de LDL-colesterol (o colesterol ruim) da mesma forma que uma dieta rica em gordura saturada, provocando riscos semelhantes de desenvolvimento de doenças cardiovasculares. O interesse pelos ácidos graxos trans foi renovado no início da década de 90, quando se observou que o consumo de dieta enriquecida com o ácido monoinsaturado elaídico (trans) comparada com ácido monoinsaturado oléico resultou não só em aumento dos níveis séricos de colesterol total e LDL, como também em menores níveis de HDL (o colesterol bom). Foi alertado, recentemente, para o papel dos ácidos graxos trans sobre os triacilgliceróis, cada vez mais implicados como fatores de ronária em situações ainda não totalmente esclarecidas.

Um recente estudo holandês afirmou que a escolha de um suculento bife é mais indicada do que a de um prato de batatas fritas ou de pastéis, pois a gordura saturada pode ser mais saudável para o coração do que a chamada gordura trans. A pesquisa mediu os efeitos da gordura trans – encontrada em alimentos fritos, biscoitos e pastéis – e da gordura saturada – presente na carne, manteiga e derivados do leite -, sobre a função vascular e os níveis de colesterol. A gordura trans reduz a função vascular em 29% e diminui os níveis de colesterol HDL em cerca de um quinto, comparada à dieta com gordura saturada.

Recomendações

As recomendações de consumo indicam que a quantidade de lipídios que deve ser obtida através da alimentação respeite o limite de 30 % do valor calórico total da dieta diariamente, dos quais 10 % devem ser provenientes de lipídios saturados e trans, 10 % de poliinsaturados e 10 % de monoinsaturados, ou seja, na proporção de 1:1:1. Um estudo feito por uma organização americana de defesa do consumidor mostra que, por causa da combinação trans/saturada, comer um simples donuts equivale a ingerir oito fatias de bacon. O limite para o consumo diário das duas gorduras é de 20 gramas. Para quem tem risco de doenças cardíacas, o máximo é de 15 gramas.

Uma das recomendações da American Heart Association é de que os consumidores prefiram óleos de canola ou azeite de oliva. A margarina com baixo teor de gordura também é preferível à manteiga. Uma forma de proteção é reduzir ou evitar o consumo de alimentos gordurosos que têm maior conteúdo de trans, como, óleos vegetais hidrogenados, presentes em bolos, doces, biscoitos, bolachas com cremes, certos sorvetes de massa, frituras comerciais, margarinas mais duras ou que ficam endurecidas quando refrigeradas, e óleos usados para fritura em muitos restaurantes e cadeias de “fast food”. E com a nova exigência da Food and Drug Administration (FDA) de que todos os alimentos contendo gordura trans (gordura vegetal hidrogenada) tragam essa informação no rótulo, assim o consumidor poderá escolher melhor os alimentos para garantir uma dieta mais saudável.

Papo Saúde: Atendimento em casos de desmaios!

Embora assustando e talvez envergonhando um pouco, o desmaio (a perda de consciência) geralmente não é uma razão para pânico. Uma em cada três pessoas desmaia pelo menos uma vez na vida, freqüentemente antes dos 35 anos ou depois da idade de 65.
O desmaio é provocado pela redução abrupta da irrigação cerebral. A seguir, são apresentadas algumas dicas de primeiros socorros para o atendimento em caso de desmaio.
1. Coloque a vítima em um local arejado com boa ventilação.
2. É necessário fazer que o sangue circule em maior quantidade no cérebro e nos órgãos nobres, par isso eleve os membros inferiores.
3. Para evitar que a vítima vomite ou se asfixie, vire a cabeça da vítima para o lado.
4. Afrouxe a roupa da vítima, para uma melhor circulação.
5. Não dê líquidos a vítima logo após o desmaio. A vítima pode não estar com seus reflexos totalmente recuperados e se afogar.
6. Após aproximadamente um minuto depois da queda, o fluxo de sangue para o cérebro é novamente restabelecido e recupera-se a consciência.
7. Não deixe a vítima caminhar sozinha depois do desmaio. Faça-a sentar e respirar fundo, após auxilie-a a dar uma volta, respirando fundo e devagar. Desta forma ocorre uma gradual readaptação a posição vertical evitando-se assim desmaiar novamente, o que pode ocorrer se ela levantar bruscamente.
8. Após esses procedimentos, pode dar água a vítima.
Caso você tenha algum problema de saúde crônico (doença cardiovascular, hipertensão ou diabetes) em conjunto com desmaio reincidente e abrupto, sobretudo relacionado com o exercício físico, peça ao seu médico para avaliar o problema.

Papo Saúde: Quando e como usar compressas quentes?

O uso de compressas quentes é indicado como analgésico. O calor, gerado pelas compressas, ativa a circulação e podem ajudar no tratamento de doenças inflamatórias.
Compressas quentes devem ser utilizadas somente após a diminuição do inchaço. O inchaço, normalmente, desaparece após 10 a 14 dias do trauma. Caso as compressas sejam aplicadas antes do tempo correto, pode-se aumentar o fluxo sanguíneo na região afetada causando um aumento do sangramento, ou até mesmo estimular o aparecimento de inflamação.
A compressas quentes são indicadas para aliviar cólicas, pés inchados, dores musculares e nas articulações. Em contraturas musculares, as compressas são ótimas para relaxar a região permitindo reduzir espasmos musculares e endurecimento de articulações.
Para que não haja queimaduras no local afetado devido aplicação das compressas deve ter cuidado no método de aplicação de compressas quentes. Uma forma que aplicar as compressas é utilizando toalhas quentes. As toalhas devem ser imersas na água quente e depois torcidas para evitar o acúmulo de água.

Papo Saúde: Quando usar compressas frias?

Após um trauma, o melhor é a aplicação de compressas frias. A aplicação de gelo não deixa inchar o local machucado e evita os hematomas.
A compressa fria ajuda diminuir o fluxo sanguíneo aumentando a contrição venosa do local afetado, após o acidente. A circulação é aumentada fazendo com que seja facilitada a remoção de substâncias indesejáveis e impurezas no local, favorecendo assim o processo da cura.
As compressas frias são indicadas para torsões, contusões, e até mesmo para extrações de dente. A aplicação de compressas pode diminui a dor e espasmos musculares facilitando a movimentação da articulação afetada. Em casos de infecções, fratura exposta ou perda de sensibilidade no local não é recomendada a aplicação de compressas frias.
Deve-se aplicar as compressas frias imediatamente após ter ocorrido a lesão. De forma alguma deve aplicar gelo diretamente na pele, deve-se usar o gelo dentro de um plástico ou mesmo envolvido numa toalha. Deve-se pressionar a área do trauma por pelo menos 15 minutos ou até que a região fique avermelhada.
Tenha cuidado para não utilizar as compressas frias por muito tempo. Caso a pele fique avermelha, quente, comece a coçar, ou mesmo doer, interrompa o tratamento com as compressas.