Arquivo da categoria: passou na tv

Passou na TV – Fim da 3ª temporada: O mega sucesso "Casa dos Artistas"!

Casa dos Artistas foi um reality show brasileiro exibido pelo SBT entre 2001 e 2004.
A Rede Globo de Televisão acusou em nota oficial que o SBT estaria plagiando a idéia da produtora Endemol, criadora e detentora dos direitos do reality show Big Brother, programa que o SBT acabou recusando comprar, para fazer uma versão sem pagar direitos autorais.
Em 1999, a Endemol já havia exibido nos Países Baixos uma variação do Big Brother, semelhante à atração de Silvio Santos: era o “Big Brother VIP” ou “Celebrity Big Brother”, feito com famosos, que depois foi também produzido em países como o Reino Unido, Austrália, México e Bulgária, entre outros.
Com medo de outros processos, a quarta temporada da “Casa dos Artistas” foi a versão brasileira de “Protagonistas de Novelas”, um reality show que revela atores e atrizes, e que acabou não indo bem no Ibope. Ainda faz parte da “família” o reality show “O Grande Perdedor” (também chamado “Quem Perde, Ganha”), comprado do formato “The Biggest Loser” – os participantes foram confinados na Casa dos Artistas, e nas primeiras gravações do programa o logotipo característico da “Casa” – uma fechadura vermelha – figurava no centro do palco.

Casa dos Artistas 1
Estreou no dia 28 de outubro de 2001, e teve sua final exibida em 16 de dezembro de 2001.

Casa dos Artistas 2
Estreou no dia 17 de fevereiro de 2002, e teve sua final exibida em 19 de maio de 2002.

Casa dos Artistas 3
Estreou no dia 2 de junho de 2002, e teve sua final exibida em 28 de julho de 2002.

Casa dos Artistas 4
Estreou no dia 16 de agosto de 2004, e teve sua final exibida em 18 de outubro de 2004.

Audiência
A Casa dos Artistas 1 rendeu a maior audiência da história do SBT. A final teve média de 47 pontos com picos de 55, enquanto a Globo, que exibia Fantástico, ficou com apenas 17. No dia da final, Silvio Santos chegou a dizer: “Daqui a pouco, a Glória Maria vai dizer ‘Oi, eu sou a Glória Maria’, e o Bial: ‘Estávamos vendo a Casa dos Artistas’. O SBT, para ganhar audiência, ia aos breaks no mesmo momento dos breaks da Globo. A vencedora Bárbara Paz e os outros participantes cantaram: ‘Sobe, sobe, sobe, Ibope’ na noite da final.

É isso aí.
Na semana que vem, o “Estrelas da TV” está de volta

Fique de olho.
Anúncios

Passou na TV – penúltima edição: O saudoso "Topa Tudo por Dinheiro"!

Topa Tudo por Dinheiro ra um programa veiculado pelo SBT e apresentado pelo empresário e apresentador Sílvio Santos. “Quem quer dinheiro?” foi um bordão muito utilizado, nas décadas de 80 e 90, quando o programa foi transmitido. Era exibido aos domingos. A estréia foi em 5 de maio de 1991, às 5 da tarde, depois foi mudando de horário. A última exibição ocorreu no ano de 2001, quando deu lugar ao Reality Show Casa dos Artistas. O formato retornou em 2008, com o nome de Programa Silvio Santos, englobando também atrações dos extinto programas Qual é a Música e Hot Hot Hot.

Curiosidade
Após a célebre frase quem quer dinheiro?, no “Topa Tudo” o apresentador fazia aviões de papel (neste caso de papel-moeda) e lançava-os ao auditório. Foi então que o Banco Central do Brasil ameaçou entrar com um processo contra Silvio Santos, alegando que Silvio estragava as notas. Silvio Santos alegou que o povo também amassava as notas, e que deveriam, portanto, processar todos que amassassem notas. O Banco Central então nada mais disse.

Audiência
Em pouco tempo o programa alcançou popularidade entre o público e também audiência. Depois da mudança de horário para às 20h o Topa Tudo passou a concorrer diretamente com o Fantástico da Rede Globo aos poucos o SBT foi aumentando seu Ibope, em 8 de setembro de 1991 aconteceu a primeira vitória em cima da revista eletrônica, liderando por 30 minutos, no dia 15 de setembro de 1991 o SBT encosta na Globo com um placar de 32 à 34. Em 22 de setembro de 1991 finalmente Silvio Santos ultrapassa o Fantástico, obtendo 36 com picos de 40 pontos no Ibope contra 31 do Fantástico, na semana seguinte ele venceu de novo com 37 pontos e picos de 41 contra 29 da Globo. A guerra entre a Globo e o SBT continuaria no horário até a emissora carioca colocar no ar o sitcom Sai de Baixo em 1996 dando a liderança novamente a Globo nas noites de domingo.

Amanhã tem a última edição dessa que é a 3ª temporada desse grande sucesso!

Passou na TV – última semana: Os "Teletubbies" e suas controvérsias!

Controvérsias no Tinky Winky
Alguns setores conservadores da sociedade civil (igrejas, ativistas pró-família, associações de defesa dos pais e filhos, anti-aborto, entre outros) fizeram várias denúncias, por conta das suspeitas e as várias associações de Tinky Winky com a homossexualidade: Tinky Winky possuía uma bolsa vermelha (uma “bolsa mágica”, na série) e um triângulo invertido na cabeça (▼), símbolos do orgulho gay.
Essas denúncias surgiram em 1998, depois que Tinky Winky foi escolhido como uns dos símbolos do movimento gay da década de 1990. Por esses motivos, foi apontado como símbolo gay pelo fundamentalista cristão Jerry Falwell. No Brasil, teve caso semelhante, mas com a associação de GLS (que formaria o triângulo e era sigla mais famosa de 1997 até metade dos anos 2000).
Há alguns anos, uma associação conservadora estadunidense decidiu boicotar a série por esta razão. Na Polônia, a Defensoria do Menor também decidiu investigar se o teletubby roxo “esconde” uma homossexualidade, mas aparentemente não houve consequências práticas.
Em Janeiro de 1999, o jornal “The Washigton Post” apresentou os prováveis motivos que explicam o sucesso do personagem Tinky Winky junto ao movimento gay: “sua cor é roxa”, “sua antena é em forma de triângulo (símbolo do orgulho gay)” e “a sua inseparável bolsinha”.
Em Fevereiro de 1999, o pastor evangélico Jerry Falwell alertou os pais que Tinky Winky poderia ser um símbolo de homossexualismo: “É púrpura, a cor da homossexualidade, e o triângulo é um símbolo homossexual”.
No mesmo mês, as organizações religiosas da Europa e dos Estados Unidos se movimentam para retirar o personagem Tinky Winky do infantil Teletubbies. As entidades não aceitam a presença do personagem por considerá-lo homossexual.
A BBC, em resposta, afirmou: “Tinky Winky é um simples e doce bebê tecnológico com uma bolsa mágica. Trata-se de um espectáculo para crianças”. Em 2007, o Provedor de Justiça da Infância e polaco Ewa Sowińska, demonstrou sua preocupação com a questão e solicitou uma investigação.
Amanhã tem a penúltima edição dessa temporada do “Passou na TV”.
Não perca!

Passou na TV – última semana: Os fofinhos "Teletubbies"!

Teletubbies é um programa de televisão produzido pela BBC voltado para bebês e crianças pré-escolares, produzido de 1997 a 2001 por Ragdoll Productions. Foi criado por Anne Wood CBE, o diretor criativo da Ragdoll, e Andrew Davenport, que escreveu cada um dos 365 capítulos que compõem a série. Narrado por Tim Whitnall, o programa rapidamente se tornou um sucesso comercial e de crítica na Grã-Bretanha e no exterior (particularmente notável para a sua produção de elevado valor), e conquistou a sua BAFTA em 1998. Embora o espetáculo é destinado a crianças com idades entre um e quatro, tem um culto com as gerações mais velhas, principalmente estudantes universitários, que compraram a habitual regulamentação T Shirts.
No Brasil, a série foi exibida pela Rede Globo no dia 9 de janeiro de 1999, na manhã. Depois ter a exibição concluída, foi exibida pela TV Cultura, pelo canal por assinatura Discovery Kids, no bloco Playhouse Disney no Disney Channel Brasil e pela Rede Minas. Em Portugal, a série emitiu na SIC.
Em 2001, a produção foi cancelada e foi anunciado que cem novos episódios seriam produzidos, com o último episódio a ser exibido em 5 de janeiro de 2001. No entanto, um total de 365 episódios foram produzidos, o suficiente para um ano inteiro.
O programa foi no centro de uma controvérsia quando americano e clérigo conservador comentarista de Jerry Falwell, em 1999, alegou que Tinky Winky, um dos Teletubbies, era homossexual. Falwell baseou esta conclusão na cor roxa do personagem e sua antena triangular, ambas na cor roxa eo triângulo são por vezes usados como símbolos do movimento do Gay Pride. No entanto, apesar de um boicote que se seguiu, o programa permaneceu em produção por mais dois anos, e Teletubbies say “Eh-oh!”, um single que foi número um na UK singles chart por duas semanas em Dezembro de 1997, foi lançado e se manteve no TOP 75 por 29 semanas após o seu lançamento e mais 3 semanas após dois re-lançamentos.

Personagens
Os principais personagens da série são: Tinky Winky, Teletubbie roxo; Dipsy, Teletubbie verde; Laa-Laa, Teletubbie amarelo; e Po, o Teletubbie vermelho. Outros personagens incluem a Noo-noo (um aspirador com vida própria). O Sol é representado pelo rosto de uma criança e uma voz deixando algumas condutas a partir do solo.
Durante os episódios, os personagens interagem entre si através de jogos, brincadeiras e de eventos, como a hora de ver televisão em telas localizadas em suas próprias barrigas e a hora de dar tchau.
Amanhã tem a continuação dessa história, falando sobre as controvérsias no Tinky Winky!

Passou na TV – última semana: O polêmico "Ratinho Livre"!

Ratinho Livre era um extinto programa de televisão brasileira, exibida pela Rede Record, entre setembro de 1997 a agosto de 1998, de segunda às sextas.
O programa era apresentado pelo Carlos Massa, mais conhecido como Ratinho.
Antes de apresentar, Ratinho era apresentador do programa 190 Urgente, da CNT, o programa policial responsável pela maior audiência da emissora de TV pelo estado do Paraná, por abodar prisões e crimes em Curitiba e outros cantos do estado, mas dava espaço em outros estados.
O programa entrou no ar das 20hs até a meia-noite, no lugar de programas que não lhe renderam audiência. A audiência no horário nobre da Record subiu em pouco tempo de 3 pontos para 9 pontos.
Com o tempo, em apenas um mês, chegou a segundo lugar de audiência, derrotando o SBT (com a exibição da novela Fascinação das 21-22hs), chegando a desafiar a Rede Globo depois que terminava a novela Por Amor.
Mesmo assim, chegou a ter maior parte do programa, primeiro lugar segundo o IBOPE, derrotando desde a novela até o Jornal da Globo.
Por conta dos sucessivos ganhos de audiência, a novela Por Amor que durava 1h, teve ser esticada por mais de meia hora: 20hs30 até 22hs.
Mesmo assim, foi a primeira vez que desde 1990, que a Rede Globo, perdia o primeiro lugar, a façanha conseguida foi a novela Pantanal e os diversos animes japôneses, da extinta Rede Manchete.
No início de 1998, o programa voltou ganhar com mais audiência, com a novela Suave Veneno, que não agradou parte dos telespectadores que assistiram a novela anterior, que migraram ao Ratinho.
Neste ano foi o auge da audiência tanto para o programa e a Record, que faturaram com propagandas e pratocínios.
No entanto, em agosto de 1998, dois dias depois ter o única edição de sábado, Ratinho saiu da rede sem mesmo pedir demissão. O motivo pela saída brusca da Rede Record foi por conta das divergências com dono da emissora Edir Macedo, por causa do salário (Ratinho recebia R$ 80 mil reais, muito baixo para pradrões televisivos).
Por conta da saída, uma nota da Record, quando dava sempre intervalo do Ratinho Livre, com letras brancas e o fundo azul, afirmava que o Ratinho estava saindo da emissora e que seria processado por quebra de contrato.
O programa começou a ser reprisado, com dias anteriores e a semana seguinte, foi substituído pelo Leão Livre, apresentado pelo Gilberto Barros, mais conhecido como Leão, até então apresentava no programa policial Disque Record das 12-14hs.
A saída do Ratinho foi um desastre: Quando era apresentado pela Record, dava 35 pontos de audiência, ao ter o novo programa no SBT, o Programa do Ratinho, caiu para 14, o que demonstrava que os telespectadores não concordaram a sua saída brusca por outra emissora. A saída do Ratinho seria por questão financeira: Sílvio Santos oferecia R$ 1 milhão de reais, caso não renovasse com a Record.
Com isto, a Globo demorou até a quase metade de 1999 ter a audiência da novela e outros horários.

Passou na TV: O fracasso "Geraldo Brasil"!

Geraldo Brasil foi um programa de televisão brasileiro de variedades apresentado pelo jornalista Geraldo Luís, com foco no jornalismo e entretenimento, exibido nas tardes da Rede Record.
Foi criado em 6 de julho de 2009, substituindo o Programa da Tarde, como parte da série de reformulações da grade da emissora. O apresentador deixou o comando do Balanço Geral SP para se dedicar ao seu novo programa.
Devido a baixa audiência do programa, alterações de horários, e etc, também teve mudanças de formatos diversas vezes para ver se decolava na audiência, teve estilo de Casos de Família, aonde pessoas resolviam problemas e discutiam assuntos do cotidiano, estilo barraco, estilo feminino, estilo policial, estilo entretenimento, estilo jornalismo, e até sobre o reality rural A Fazenda.
Quando a 1ª edição do programa A Fazenda começou, era exibido flash ao vivo, e um boletim do dia, dava boa audiência. Logo depois com seu fim caiu na audiência, com a estreía da 2ªedição do reality A Fazenda o programa era totalmente dedicado ao reality mas mesmo assim não tinha audiência. Até a famosa “Passarela” aonde famosos atravessavam, que era exibida pelo Hoje em dia, foi colocada no programa para dar audiência, mas também não alavancou.
Devido a outra reformulação na grade, o programa saiu do ar em 18 de dezembro de 2009.

Curiosidades
O programa, mesmo com pouco tempo de duração, já mudou várias vezes de horário. No início era às 16h, passou para as 15h30, depois foi para as 16h30, logo após era apresentado às 17h00, a seguir passou para 16h15 e na segunda, 28 de setembro, passou a ser apresentado a partir das 16h45 indo até as 18h10, com a estreia de O Preço Certo, passou das 15h00 às 16h20. As mudanças de horário se tornaram rotineiras devido aos baixos índices de audiência, que tornaram o programa um fiasco.
Foi o programa de variedades de menor duração da Rede Record, com apenas 5 meses de exibição.
Depois de ser extinto da grade da emissora, foi cogitado a volta do extinto Programa da Tarde, com Maria Cândida, mas ela optou por não renovar o contrato com a emissora.
Para alavancar o ibope, teve distintos formatos. E até mesmo antes da atração era exibido o repeteco do Pica-Pau, e Todo Mundo Odeia o Chris.
O programa foi muito criticado por um quadro do programa, intitulado “Orelhão do Geraldão”, ser muito parecido com um quadro do programa Caldeirão do Huck, mas a diferencia era o valor dos prêmios. Enquanto o Caldeirão dava mais de R$ 1.000, o programa de Geraldo Luís dava R$ 50,00.

Passou na TV: Cicarelli na Band, "Quem Pode Mais?"!

Quem Pode Mais? foi um programa de televisão brasileiro apresentado por Daniella Cicarelli e exibido na Rede Bandeirantes aos domingos, entre 23 de Março e 7 de Setembro de 2008.

Formato
O programa começou em formato de game show, que fazia oposição da “guerra dos sexos”, entre o universo masculino e o feminino, onde os mesmos são submetidos a provas, em frente a uma platéia de 120 pessoas. No próprio programa a apresentadora Daniella Cicarelli apresenta o quadro Coisa de Menino e Menina onde ela vive o universo das profissões do homem e da mulher. Como a audiência nos primeiros programas não foi satisfatória, houve algumas modificações, como a criação do quadro “Pega Pega”, onde são formados pares românticos, e celebridades que faziam aniversário eram homenageadas, às vezes com entrevistas com crianças e outras vezes trocando de papel com outra celebridade. Quem estrearam os dois formatos foram, respectivamente, Raul Gil e José Luiz Datena.

Passou na TV: O querido "Note e Anote"!

Note e Anote foi um programa transmitido pela Rede Record. Em sua direção, Janete Moraes e produção de Marlon Rodrigues e Ulda Mandú. Era um programa de variedades, voltado predominantemente às donas de casa, com a apresentação de atividades atinentes, como culinária e artesanato.
Ana Maria Braga estreou o Note e Anote em 1993 e ficou no programa até 1999, quando pediu demissão da emissora e foi contratada pela Rede Globo. Cátia Fonseca assumiu o lugar de Ana Maria e permaneceu no Note e Anote até setembro de 2000, quando foi substituída por Claudete Troiano. O programa foi extinto em agosto de 2005, sendo sucedido pelo programa Hoje em Dia.
O programa era exibido das 11h até as 18h. Dando o recorde de um programa Ao Vivo ficar tanto tempo no ar mundialmente. Eram 7 horas de programa, com 10 intervalos comerciais.
Ana Maria Braga em 1993 ganhou um título de maior apresentadora em ficar mais tempo no ar Ao Vivo.


Passou na TV: O reality "Casamento à Moda Antiga"!

Casamento à Moda Antiga foi um reality show brasileiro baseado em um formato original dos Estados Unidos da América – com o nome de “Married by America” – e exibido, em versão brasileira, de 11 de dezembro de 2005 a 29 de março de 2006 pelo SBT. É um programa que tem como objetivo unir homens e mulheres que desejam se casar e formar uma família.
É a primeira vez que uma emissora de televisão brasileira realiza um reality show desse gênero. Algumas emissoras, porém, já produziram atrações promovendo a união de casais. A Rede Globo exibiu, em 1967 e 1968, o programa Casamento na TV. O Jogo da Vida, tanto semanal como diário, da Rede Bandeirantes, tinha um quadro chamado “Casamento Surpresa”, em que o noivo, a noiva ou mesmo ambos não sabem que vão se casar.
“Casamento à Moda Antiga” teve sua exibição interrompida em 5 de abril de 2006 devido à estréia do programa Ídolos.

Conceitos gerais
Semanalmente pais, padrinhos e amigos de um homem e de uma mulher ajudam a escolher o par ideal no palco. Cada um dos escolhidos traz três padrinhos e confiam a tarefa dificílima de escolher sua alma gêmea. Após uma bateria de perguntas e respostas, apenas dois pretendentes para cada candidato permanece no palco. Por fim, a platéia formada por mais de 200 pessoas dá o veredito final através de uma votação. É formada, em seguida, uma pequena cerimônia de noivado com os casais formados, que são convidados a passar 21 dias na “Casa dos Noivos”. Após esse período, os casais voltam ao palco para decidir se continuam ou não o noivado. A cada semana, dois novos casais chegam à “Casa dos Noivos” para tentar viver uma história de amor. Caso um casal decida se casar num prazo de seis meses a partir da data de saída da casa, recebe da emissora os seguintes prêmios:

Cerimônia de casamento civil e religiosa;
Recepção para 50 pessoas;
Trajes para os noivos;
Lua-de-mel por uma semana;
R$ 10.000,00 por mês durante um ano, desde que comprovem, através de recibos, notas fiscais e outros documentos, que o casal permanece unido.

A Casa dos Noivos
Os casais ficam hospedados na “Casa dos Noivos” por 21 dias. Lá, eles se conhecem melhor, fazem passeios a dois, participam de gincanas, curtem festas temáticas, assistem a filmes românticos e aproveitam tudo o que a vida a dois oferece. Eles são vigiados 24 horas por dia por mais de 40 câmeras.
No dia seguinte à estréia do programa, comandado por Silvio Santos, Jorge Kajuru passou a comandar a edição diária, na qual mostrou os acontecimentos na “Casa dos Noivos”: romances, brigas, festas e a intimidade no cafofo, além de escapadinhas que ocorrem embaixo do edredon.
Devido à baixa audiência, a versão diária saiu do ar em 24 de janeiro de 2006, ficando apenas o programa em que são definidos os novos casais.

Passou na TV: O criminal "Linha Direta"!

Linha Direta foi um programa da Rede Globo, exibido nas noites de quinta-feira entre 1999 e 2008. O programa dedicava-se a apresentar crimes que aconteceram pelo Brasil e cujos autores estariam foragidos da justiça. Era apresentado primeiramente pelo jornalista Marcelo Rezende, e com a saída deste da emissora, passou para o comando de Domingos Meirelles.

Uma primeira versão do programa já havia sido produzida em 1990, com a apresentação de Hélio Costa. Nesta versão, diferente da atual, eram reconstituídos crimes famosos, como o “Caso Pedrinho”, com atores desconhecidos.
Estilo
O programa fazia uma simulação dos fatos, sendo que se houvesse mais de uma versão, ambas eram apresentadas. Normalmente havia a apresentação de dois casos – às vezes até três casos no mesmo programa – e, ao final do programa, poderia ocorrer o relato de algum foragido que foi preso graças à ajuda do programa, que fornecia telefone ou e-mail e garantia o anonimato do denunciante. Desde sua estreia, o Linha Direta, através das denúncias anônimas, colaborou para a prisão de, até certo momento, 431 foragidos da justiça. As simulações eram feitas por atores profissionais, embora quase sempre desconhecidos.
Deixou de ser exibido em 2008. A justificativa para tal, de acordo com a Central Globo de Comunicação, em mensagem deixada no site do programa, foi: “A respeito das manifestações de entidades ligadas aos Direitos Humanos pela continuidade do programa Linha Direta – por seu reconhecido interesse público -, informamos que a TV Globo passou a adotar o sistema de temporadas. Mesmo com êxito e importância comprovados, os programas têm sua exibição suspensa, passando por uma reavaliação para nova exibição futura.”.

Equipe
Além da direção geral de Milton Abirached e apresentação de Domingos Meirelles, contava com Paulo Gheli, Pedro Carvana, André Felipe Binder, Adriano Coelho (diretores), Gustavo Vieira, Ângelo Tortelly (coordenação de jornalismo), Fábio Lau, Marcelo Fariade Barros, Wilson Aquino, Mônica Marques, Elayne Cirne (repórteres), Danielle Ferreira, Didier Dutra, Camila Machado de Assis, Camila Avancini (produção de jornalismo), Charles Peixoto, Teresa Frota, Gustavo Cascon, Ivan Sant’Anna, Adriana Avellar (roteiro), Flávio Araújo, Zé Dassilva; Maurício Yared (edição), Alexandre Ishikawa (direção de produção), Verônica Esteves (gerente de produção), Edon Oliveira (produção musical), Fred Rangel (direção de fotografia), Vitor Klein (efeitos especiais), José Artur Camacho (produção de arte), Mauro Heitor (computação gráfica), Vera Daflon, Andréia Hollanda (coordenação de produção), Aldo Picini, Oscar Francisco (assistência de direção), Denise Bernardes (figurinista), Rose Aragão (caracterização), Carlos Eduardo KK (cenografia).