Arquivo da categoria: Vida e Saúde

Vida e Saúde – Fim de temporada: Tudo sobre a Dengue!

A dengue é um dos principais problemas de saúde pública no mundo: a cada ano, cerca de 20 mil pessoas morrem em consequência dessa doença. No Brasil, ela é transmitida pela picada do mosquito Aedes aegypti fêmea, portadora do vírus dessa doençaUma pessoa que teve dengue se torna imune ao sorotipo que provocou a doença, no entanto, existe o risco de se infectar novamente pelos outros três. Vale frisar que a transmissão só ocorre da forma que foi mencionada: não existe a possibilidade de uma pessoa portadora “passar dengue” para outro indivíduo.
Medidas a adotar:
– Tampar reservatórios de água, como cisternas, tanques e fossas;
– Armazenar garrafas com o bico voltado para baixo;

– Remover o lixo e entulhos, armazenando-os em recipientes adequados e depois os destinando à coleta;

– Colocar larvicidas em recipientes, como pratinhos de plantas. A borra de café (duas colheres para cada copo de água) é bastante eficaz, sendo necessário repô-la a cada uma semana, após lavá-los com bucha;

– Abrir portas e janelas quando a nebulização estiver sendo feita em sua rua;

– Nunca deixar de atender em sua casa o agente de saúde.
O MINISTÉRIO DA SAÚDE ADVERTE:
A automedicação pode ter efeitos indesejados e imprevistos, pois o remédio errado não só não cura como pode piorar a saúde.
No caso da dengue, remédios à base de ácido acetil salicílico, como AAS, Melhoral, Doril, Sonrisal, Alka-Seltzer, Engov, Cibalena, Doloxene e Buferin NÃO podem ser ingeridos, sob o risco de provocarem sangramentos.
Anúncios

Vida e Saúde: Impotência Masculina!

Vivemos ainda em uma sociedade muito machista, infelizmente para todos nós.
Para os homens, em especial, existe uma pressão desenfreada para a atividade sexual predatória. O que caiu na rede é peixe! E existe, por sinal, um mito milenar de que os homens estão sempre aptos ao sexo, independente de qualquer outro fator. Devem sempre estar com desejo, devem ter plena ereção e não falhar jamais.
Essa situação é um peso muito grande para os ombros de qualquer um. A bem da verdade, qual o homem ao qual nunca lhe faltou potência?
Qual a mulher cujo parceiro já não perdeu a ereção alguma vez na vida?
É necessário desmistificar essa situação. A impotência (disfunção erétil) só se torna um problema ou uma doença quando ela predomina na vida sexual de um homem. Ou seja, quando há uma incapacidade persistente ou recorrente (repetida) de manter uma ereção até a conclusão da atividade sexual. Alguns se queixam de falta completa de rigidez para conseguir uma penetração. Outros conseguem ter o pênis rijo, mas na hora de introduzi-lo perdem a potência.
Atenção! a eventual ocorrência de perda de ereção não é considerada impotência.
O que causa a perda da ereção?
As pesquisas são contraditórias: algumas apontam que 90% da impotência tem causa emocional.
  • O estresse do dia-a-dia;
  • A discórdia conjugal;
  • A falta de atração pela parceira;
  • A ansiedade ou depressão;
  • O temor de não desempenhar o sexo adequadamente;
  • Conflitos emocionais antigos;
  • Culpa e repressões sexuais.
São algumas das causas psíquicas comuns.
Outros trabalhos científicos relatam que a disfunção erétil nos homens é, na maioria dos casos, orgânica, principalmente quando o homem tem mais que 50 anos.
  • A deficiência de alguns hormônios masculinos como a testosterona;
  • Excesso de prolactina;
  • A presença de algumas doenças como o diabete melito;
  • O uso de medicações que combatem a hipertensão;
  • A anormalidade vascular peniana.
São fatores orgânicos importantes a serem levados em consideração na avaliação dessa disfunção sexual.
E tem cura?
Podemos pensar que há uma soma desses fatores orgânicos e emocionais na determinação da impotência. Para o tratamento, então, devemos combinar algumas técnicas terapêuticas para obtenção de maior sucesso.
Após alguns exames de rotina, detectamos a presença ou não de algum problema orgânico. Por exemplo, se há falta de testosterona, podemos repor através de uso de medicação. Se há problema vascular ou neurológico, podemos até indicar cirurgia ou colocação de prótese. Entretanto, tais métodos mais evasivos são de última escolha no tratamento da impotência, só utilizados quando quaisquer outros métodos já falharam completamente.
Quando não há muitos achados positivos nos exames, podemos empregar um tipo de tratamento psicológico, denominado psicoterapia cognitivo-comportamental, que é baseado em tarefas sexuais progressivas e orientação.
O uso concomitante de algumas medicações que provocam a ereção tem elevado o sucesso terapêutico em muitos casos. Entretanto, os mesmos nunca devem ser utilizados sem acompanhamento médico especializado.
Agora é sua vez,opine sobre o tema e dê sugestões para futuros temas?

Vida e Saúde: Higiene íntima masculina!


Muitos falam da higiene feminina e a higiene do pênis não é importante? Claro que é!
Quando a higiene do pênis não é bem feita, o esmegma acumula-se e provoca mau cheiro. Além disso, facilita o aparecimento de inflamações e infecções.
Lave seu pênis todos os dias com água e sabonete.
Puxe bem o prepúcio para trás a fim de limpar completamente a região que fica coberta e não deixar o esmegma se acumular.
Para evitar irritação e assaduras, enxugue bem depois de lavar.
Não use pomadas ou cremes sem indicação médica.
Sempre que você notar qualquer coisa diferente no pênis como feridas, bolhas, corrimento, ardor ao fazer xixi, por exemplo, procure um médico. E caso você tenha vida sexual ativa, deixe imediatamente de transar. Não tome remédio algum sem se consultar. Não use remédios caseiros. Não deixe de procurar o médico mesmo que o sintoma desapareça sozinho. Avise sua parceira para procurar um médico também.
A melhor maneira de você evitar esses problemas é fazer a higiene do pênis com muito cuidado no banho de todo dia e usar a camisinha sempre que transar, antes de fazer qualquer penetração.

Vida e Saúde: Será que o tamanho do pênis é importante?

Será se o tamanho do pênis é importante para uma relação sexual,para dar prazer uma mulher?

A maioria das pessoas, homens principalmente, acha que o pênis, pinto, pingolim ou bimbo, tanto faz, chame do jeito que deixar você mais à vontade, é a parte mais importante do corpo para o sexo. Por causa disso muitos homens sofrem demais com um grande, enorme problema: o tamanho do pênis.
Muitos acreditam que esse problema grande existe por causa de um pênis pequeno. Mas o melhor da história você pode não saber: sabe quem é que se importa mesmo com o tamanho do pênis? Pensa que é a mulher? Que é por isso que os homens gostariam de ter uns centímetros a mais, para oferecer para ela? Nada disso! São, principalmente, os próprios homens!
O homem que reclama de ter o pênis pequeno sente vergonha de tomar banho na frente dos amigos, veja só! Mas quase sempre tem uma parceira de transa que nunca reclamou do tamanho do pênis dele! Isso não é mesmo uma coisa muito engraçada? Poderia ser, mas não é.
O homem que invoca com o tamanho do pênis que tem sofre um martírio na vida. Muitos, inclusive, evitam o sexo achando que não têm o dote necessário para isso.
O prazer, do homem ou da mulher, não dependem em nada, nadinha mesmo, do tamanho do pênis!
Vamos fazer uma lista de motivos para convencer você dessa verdade? Vamos lá:
1. A vagina é um órgão bastante elástico que se amolda para receber bem um pênis de qualquer tamanho; não existem vaginas grandes que vão ficar com espaço sobrando caso sejam penetradas por um pênis menor.
2. A parte mais sensível da vagina está logo no começo dela. A parte mais do fundo quase não provoca sensação de prazer quando estimulada pelo toque do pênis.
3. Nem sempre é a penetração o fato que mais dá prazer para a mulher.
4. Não é o pênis que transa, mas sim o dono dele. E o homem tem possibilidade de sentir e dar prazer usando qualquer parte do corpo.
5. Muito homem que tem pênis grande não sabe o que fazer para satisfazer a mulher na hora da transa.
6. Para funcionar, o pênis tem é que ficar duro, seja do tamanho que for.
Então, está convencido agora? Não? Já sei: você quer saber as medidas de um pênis normal para ir correndo medir o seu e saber se ele, afinal, é normalzinho ou não.
Não existe tamanho normal de pênis. O que é normal é o homem ter pênis.
Mas existe, isso sim, um tamanho médio de pênis. Tamanho médio mostra uma medida de pênis que a maioria dos homens têm.
No Brasil foi feita uma medição de pênis de homens que moram na região sul do país e os pesquisadores chegaram à uma medida: o tamanho médio do pênis do brasileiro está por volta de 14 cm quando o pênis está duro. Os que têm pênis entre 13 e 15 cms estão dentro da média. Os homens donos de pênis maiores ou menores são em menor número, mas são normais.
Agora você vai poder dizer que existem mulheres que gostam de homens com pênis grande. Ah, com certeza! Assim como existem homens que gostam de mulheres com seios grandes também.
Mas agora, seja sincero com você mesmo: caso você fique caidinho por uma mulher que você ache muitos gostosa, mas que tenha o tamanho dos seios menor do que você gostaria, por acaso isso atrapalharia o prazer que você poderia ter com ela? Tenho certeza que não.

Vida e Saúde: Duas pessoas com AIDS podem abandonar a camisinha?

Será que se duas pessoas tiverem Aids pode abandonar a camisinha?
Não. Aparentemente duas pessoas portadoras do HIV não teriam de tomar maiores cuidados pois ambas já têm o vírus no organismo. Esse é o pensamento mais lógico, que é a base da sua pergunta. Mas a ciência mostra que é diferente e que elas precisam ter os mesmos cuidados que qualquer pessoa na prática sexual.
Acontece que o vírus sofre mutações e uma pessoa portadora do vírus pode transmitir esse vírus transformado para a outra pessoa, e isso pode dificultar o tratamento daquela pessoa.
Além desse fato existe outro, segundo os médicos infectologistas; uma pessoa portadora do vírus geralmente se trata com um medicamento, ou com uma combinação de medicamentos, o chamado coquetel.
Esse tratamento considera a quantidade de vírus no organismo e também do nível de defesa que o corpo apresenta. Se a pessoa recebe nova quantidade de vírus, o tratamento perde boa parte de seu efeito.
Resumo da ópera: todo mundo precisa praticar o sexo mais seguro, ou seja, usar camisinha. Quem não é portador, quem é portador e pratica o sexo com quem não é, e quem é portador e pratica o sexo com quem também é portador.

Vida e Saúde: Os efeitos da gordura trans!

A gordura trans começou a ser usada em larga escala nos anos 80, para dar mais gosto, melhorar a consistência e até aumentar o prazo de validade de alguns alimentos. Ela é obtida depois que os óleos vegetais são submetidos a um procedimento químico chamado hidrogenação. No processo de hidrogenação, é adicionado hidrogênio em óleos vegetais e este se solidifica. O resultado é uma gordura mais grossa, que foi batizada com o prefixo latino “trans” porque, nesse processo, há um movimento bastante radical no interior da estrutura molecular da gordura. As principais fontes de gordura trans são as margarinas, sobretudo a vendida na forma de tablete, as massas prontas para o consumo e os lanches fritos. A margarina em tablete é normalmente usada em recheios de bolachas, em salgadinhos, tortas e bolos (frituras também podem ter trans, dependendo do modo de preparo). Quanto mais dura é a margarina, maior a concentração de gordura trans.

A gordura trans pode ser mais prejudicial do que a saturada já que altera o metabolismo lipídico, elevando os níveis de LDL-colesterol (o colesterol ruim) da mesma forma que uma dieta rica em gordura saturada, provocando riscos semelhantes de desenvolvimento de doenças cardiovasculares. O interesse pelos ácidos graxos trans foi renovado no início da década de 90, quando se observou que o consumo de dieta enriquecida com o ácido monoinsaturado elaídico (trans) comparada com ácido monoinsaturado oléico resultou não só em aumento dos níveis séricos de colesterol total e LDL, como também em menores níveis de HDL (o colesterol bom). Foi alertado, recentemente, para o papel dos ácidos graxos trans sobre os triacilgliceróis, cada vez mais implicados como fatores de ronária em situações ainda não totalmente esclarecidas.

Um recente estudo holandês afirmou que a escolha de um suculento bife é mais indicada do que a de um prato de batatas fritas ou de pastéis, pois a gordura saturada pode ser mais saudável para o coração do que a chamada gordura trans. A pesquisa mediu os efeitos da gordura trans – encontrada em alimentos fritos, biscoitos e pastéis – e da gordura saturada – presente na carne, manteiga e derivados do leite -, sobre a função vascular e os níveis de colesterol. A gordura trans reduz a função vascular em 29% e diminui os níveis de colesterol HDL em cerca de um quinto, comparada à dieta com gordura saturada.

RecomendaçõesAs recomendações de consumo indicam que a quantidade de lipídios que deve ser obtida através da alimentação respeite o limite de 30 % do valor calórico total da dieta diariamente, dos quais 10 % devem ser provenientes de lipídios saturados e trans, 10 % de poliinsaturados e 10 % de monoinsaturados, ou seja, na proporção de 1:1:1. Um estudo feito por uma organização americana de defesa do consumidor mostra que, por causa da combinação trans/saturada, comer um simples donuts equivale a ingerir oito fatias de bacon. O limite para o consumo diário das duas gorduras é de 20 gramas. Para quem tem risco de doenças cardíacas, o máximo é de 15 gramas.

Uma das recomendações da American Heart Association é de que os consumidores prefiram óleos de canola ou azeite de oliva. A margarina com baixo teor de gordura também é preferível à manteiga. Uma forma de proteção é reduzir ou evitar o consumo de alimentos gordurosos que têm maior conteúdo de trans, como, óleos vegetais hidrogenados, presentes em bolos, doces, biscoitos, bolachas com cremes, certos sorvetes de massa, frituras comerciais, margarinas mais duras ou que ficam endurecidas quando refrigeradas, e óleos usados para fritura em muitos restaurantes e cadeias de “fast food”. E com a nova exigência da Food and Drug Administration (FDA) de que todos os alimentos contendo gordura trans (gordura vegetal hidrogenada) tragam essa informação no rótulo, assim o consumidor poderá escolher melhor os alimentos para garantir uma dieta mais saudável.

Vida e Saúde: Os benefícios da meditação!

Todos ouvimos falar já há muito tempo sobre meditação. Essa prática foi divulgada no ocidente a partir dos anos sessenta, junto com o movimento hippie. Como tudo que é novo e desconhecido, e como a proposta do movimento hippie era a de rompimento com o que já não funcionava mais e a introdução de uma cultura mais livre e feminina como a oriental, a meditação foi, por muito tempo, vista como uma atividade “de loucos”.
Hoje a ciência comprova: a meditação somente nos traz benefícios, pois ela nos proporciona a possibilidade de encontro com aquilo que há de mais profundo dentro de nós. Ela equilibra as emoções, nos põe em contato com nosso subconsciente, provoca o relaxamento através do “esvaziamento” de nosso campo mental, sua prática constante desenvolve a concentração e o autocontrole, equilibra a ansiedade, além de nos direcionar por um caminho espiritual mais consistente e realizador.
A meditação é, inegavelmente, uma colaboradora no processo de fundamentação de nosso desenvolvimento mental e espiritual e nosso sentido de vida. Não existe desenvolvimento do espírito sem a prática da meditação.
Diz Tarthang Tulku (um Lama Tibetano): “Alcançar uma perspectiva mais ampla é como abrir uma janela num quarto abafado; toda a atmosfera se renova e a brisa fresca traz alternativas para nossas maneiras habituais de reagir. Por meio da prática da autoobservação na meditação e na vida diária, mesmo as nossas questões mais profundas podem ser respondidas. Podemos descobrir o que somos e o que estamos fazendo nesta terra. Por fim, poderemos entrar em contato com um corpo de conhecimento tão vasto que toca todas as coisas”. De verdade, a prática da meditação promove a possibilidade de tudo isso, pois ela abre canais que não imaginamos possuir. Sem nos percebermos de como acontece, enxergamos a vida sob novas perspectivas, adquirimos novas maneiras de solucionar problemas, o canal de intuição e de comunicação com energias sutis é lentamente aberto. Quando nos utilizamos de mantras, aliados à meditação e respiração, “o milagre” é ainda maior. Os mantras, ou palavras de poder, têm uma função energética curativa e transformadora. O uso apropriado de certos mantras dissolve imediatamente energias negativas ao nosso redor, transformando nossa energia mental e espiritual e a energia do ambiente em que vivemos. “O mantra é como uma pedra encantada que desperta a energia sutil da mente iluminada”, diz Tarthang Tulku.
Quando praticamos a meditação diariamente, milagres acontecem em nossas vidas, milagres que para muitos de nós são inexplicáveis, mas que com o conhecimento entendemos o porquê. Aprenda a meditar e pratique a meditação. Compreenda a importância dessa prática e aprenda algumas técnicas eficientes que tenham a ver com seu temperamento, para que você tenha a oportunidade de avalizar tudo isso.
Dica: Respire fundo
Sempre que sentir que a intolerância e impaciência estão tomando conta de seu organismo, respire fundo e procure dentro de você o real motivo desses sentimentos. Olhe atentamente para a pessoa que provocou essa reação em você e procure percebe la como uma pessoa como você, carregada de conflitos e sentimentos negativos, inseguranças e medos.
Sempre que olhamos para os outros como pessoas idênticas a nós, com problemas como nós, algo de mágico e transformador acontece.

Vida e Saúde: Continuamos nosso papo sobre celulite!

Batalha contra o fantasma

Esses tratamentos têm que ser contínuos, além de serem aliados a bons hábitos alimentares e exercícios físicos. Se parar de fazer, volta tudo. É preciso ter paciência e disciplina para que faça efeito. Em primeiro lugar, é preciso saber qual o tratamento mais indicado para o tipo de problema de cada um. Primeiro é preciso realizar uma avaliação da paciente para que os tratamentos sejam prescritos de acordo com a necessidade de cada um.

Se a pessoa quiser potencializar o resultado, realmente é preciso fazer uma manutenção, retornando à clínica em períodos estabelecidos de acordo com cada caso. O estilo de vida destaca-se como fator importante no tratamento. A medida importante para tratar da celulite é a desintoxicação da região.

O tratamento estético é um coadjuvante, mas é preciso boa alimentação, ingestão de água e atividade física, que acelera o metabolismo. Entre as muitas técnicas existentes, o mais procurado, atualmente, é o Manthus, um equipamento computadorizado constituído por geradores de ultra-som e correntes (polarizadas e elétricas) para tratar gordura localizada e celulite de todos os graus. O equipamento atua acelerando o sistema linfático, removendo a gordura e as toxinas que foram expulsas com a realização do ultra-som e permite a absorção de princípios ativos para redução de gordura localizada e celulite. Esse tratamento une três técnicas – drenagem linfática, maior penetração de princípios ativos e o ultrasom.

Junto com os tratamentos fisioterapêuticos, são necessários tratamentos estéticos. Além dessas técnicas, as grandes empresas de cosméticos já disponibilizam no mercado cremes e adesivos (“patches”) que prometem ajudar na batalha contra a celulite.

Mas não há nenhuma técnica milagrosa. Existem várias modalidades, embora a maioria delas ainda não tenha seu papel claramente estabelecido.

Podemos atuar reduzindo os fatores agravantes e usando métodos mecânicos, além de agentes farmacológicos, como a cafeína, que podem ser colocados em cremes e usados juntamente com massagens e drenagens.

As pessoas devem ficar atentas às fórmulas e técnicas que prometem fazer milagres. Há aparelhos novos que prometem bons resultados, mas ainda precisamos de maiores estudos para esclarecer o real papel dessas novidades. Além disso, alguns ainda não foram aprovados pela Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária).

Vida e Saúde: Dicas para combater a celulite!

Um estudo realizado por pesquisadores da Sociedade Americana de Cirurgiões Plásticos e publicada na revista Plastic and Reconstructive Surgery em agosto do ano passado, apontou que a celulite atinge cerca de 85% das mulheres, incluindo jovens, adolescentes e as magras. A celulite é uma alteração da microcirculação da camada de gordura que leva a inchaço, alteração das células de gordura e formação de nódulos. Quando gordura, líquidos e toxinas ficam presos embaixo da pele, o tecido fibroso começa a ficar duro e apertado e a gordura é comprimida, o que causa o efeito “casca de laranja”. As principais áreas afetadas pelo problema são barriga, coxas, glúteos, braços e joelho.

A celulite se apresenta em quatro estágios. No primeiro, as alterações não são visíveis. No segundo, já são perceptíveis alterações na superfície da pele quando há contração muscular e também compressão manual. No terceiro grau, a pele tem aspecto de casca de laranja associado a pequenos nódulos palpáveis, já no quarto grau, há grandes nódulos visíveis e palpáveis associados à presença de microvarizes. Existem alguns fatores que contribuem para o surgimento da grande vilã da beleza feminina. As principais causas da celulite são hereditariedade e hábitos de vida, como sedentarismo, alimentação e tabagismo. Existe ainda o fator hormonal envolvido, já que o estrogênio (principal hormônio feminino) favorece a retenção de líquidos e acúmulo de gordura no abdome, quadril e coxas. Para prevenir o aparecimento da celulite algumas medidas podem ser colocadas em prática. Adotar hábitos de vida mais saudáveis, praticar atividades físicas e uma alimentação balanceada são algumas das opções que podem ajudar no combate e na prevenção. Informações disponibilizadas pela Agência Graffo Ainda não há nenhum relato ou estudo que traga uma solução definitiva para o problema ou indique uma fórmula para acabar de vez com a celulite, apesar de haver muita divulgação a respeito dos tratamentos estéticos para quem sofre com o mal. Drenagem linfática, eletrolipoforese, mesoterapia e massagens, entre outras técnicas, figuram uma lista imensa de possibilidades de combate ao problema.

Amanhã contiuamos a falar sobre celulite!

Vida e Saúde: Sal faz mal para quem não tem hipertensão!


Embora sal demais possa ser bastante prejudicial à saúde em médio e longo prazo, sal de menos também faz mal. Afinal, os dois elementos químicos que compõem o sal, cloro e sódio, são indispensáveis para o funcionamento das células de todos os seres vivos, pois regulam a quantidade de água no corpo. Entretanto, a situação mais comum em relação ao sal é o excesso, já que o maior consumo de alimentos industrializados – muitos deles ricos em sódio – há maior retenção de líquido, o que aumenta o volume sanguíneo e piora a hipertensão.

Mas a quantidade recomendada pela Organização Mundial de Saúde para o consumo diário de sal em até 5g está longe de ser um consenso na comunidade científica. De acordo com novo estudo, uma dieta com pouco sal de fato reduz a pressão sanguínea como sugerem os médicos, mas aumenta os níveis de colesterol, gorduras e hormônios no sangue, além do risco de doenças cardíacas. O trabalho, publicado na revista American Journal of Hypertension, fez um apanhado de 167 pesquisas em que os participantes foram acompanhados por um mês e selecionados aleatoriamente em dois grupos: um consumindo pouco sal e outro ingerindo grandes quantidades da substância.
No grupo dos que comiam pouco sal, os pesquisadores observaram uma melhoria discreta na pressão sanguínea, sobretudo em quem já apresentava pressão alta, já que a dieta reduziu a pressão em até 3,5%.

Por outro lado, entre os não hipertensos, a dieta com pouco sal aumentou em até 2,5% os níveis de colesterol e em 7% os triglicérides. Além disso, também houve aumento nos hormônios que regulam o nível de sal no sangue, que são responsáveis por fazer o corpo preservar a substância no corpo ao invés de excretá-la pela urina.

A pesquisa não considerou dados sobre o excesso de peso e o sedentarismo dos participantes para definir a interferência na pressão arterial. Ainda serão necessárias mais pesquisas para investigar se uma dieta com uma quantidade menor ainda de sal poderá trazer benefícios para a saúde.